Começo

Tudo que começo costumo indagar: "Como começar?"
Isso é redundantemente simples demais - basta começar pelo início, ora! Como minha mania de tornar coisas simples em muito importantes impera, pois acho o simples simplesmente magnífico, acabo perdida em tantos possíveis começos.
Parece conversa de gente desmiolada!
Mas quem disse (e pode provar) que desmiolado conversa diferente de quem tem miolo?
Acho que tudo depende do olho de quem lê, de quem vê.
Sabe, queria conseguir expressar em claro português toda minha intensidade, todo meu ser, mas nem mesmo eu me entendo por completo. Sou como um mapa cheio de cruzamentos, daqueles que tem vários túneis, viadutos, marginais, avenidas, vielas, atalhos, etc. Basta acionar com uma palavra que logo um pedaço de pensamento se relaciona com outro, que atalha em outro, e se emenda em outro, e ops! já se foram horas e horas de conversa, linhas e mais linhas escritas, muitas palavras e letras tentando expressar o que se passa em minha caixola. Sempre falta mais uma coisinha a dizer...
Neste espaço espero mostrar um pouco desta minha maneira de ser, pensar, viver, achar e quem sabe eu acabo me descobrindo, me entendendo e até mesmo me revelando como eu
verdadeiramente sou:
Simplesmente Vi!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Sobre mentiras e verdades