Filho


Desde a muito tempo atrás eu sonhava ser mãe.

Mas precisava do pai também né?!

O pai eu já conhecia desde os meus 2 anos de idade, mas não sabia que seria ele. Só soube há quase 10 anos. E quando pensava sobre ter, pensava logo em uns 3, mas isso na minha cabeça, só se realizaria quando tivesse mais de 25 outubros. Prá ter muito sorriso e abraço em casa, alegrar mesmo a vida.

Quando esperamos o tão sonhado filho foi uma surpresa que o Heber já queria, que ele até planejara sem nem me consultar. Ficou mais radiante que eu, que fiquei mais preocupada que feliz no primeiro momento, mas mudei todos os meus planos pra nossa Maria caber, ocupar nossos sonhos, e eram muitos sonhos, sonhos de ficar horas e horas contando e se emocionando, amamos muito ela, mas Deus quiz pra Ele nossa menina, e prematuramente ela chegou e se foi.

Tristeza. Medo.

Tristeza porque queria ela aqui, medo de não ter outro pedacinho de mim, de não trer coragem, ou de perder de novo. Mas o Espírito Santo nos consola, nos conforta, nos anima, e uns 3 anos depois já estavámos curados e ansiavamos os 25 anos, prá então, dar forma a mais pedacinho da gente, pra amar muito, cuidar e ver nele o nosso melhor. Dizia a todos na Faculdade: " Vou colar grau de barrigão!"

Daí treinamos, treinamos e treinamos bastante.

E ficou lindamente pronto, após 9 meses de dificuldades em vários sentidos: o desemprego recente do Heber, a fragilidade do colo do meu útero , a falta de grana pra tanta coisa, a impossibilidade de trabalhar e estudar, a dependência de boas ações, etc, etc. E nosso amor tá ainda mais forte, mais intenso, nos respeitamos ainda mais, nos entendemos e sobretudo cuidamos muito um do outro, sou a melhor amiga dele, e ele é meu melhor amigo! Não deixamos de ter defeitos, é claro! Mas nossas qualidades se fortalerecam demasiadamente.

Deus nos abençoou tanto! O parto foi lindo! Natural!

Ele lá, segurando minha mão, cuidando de mim e do nosso filho! E nosso filho nasceu! Indescritível o momento! Palavras não tem o poder de definir o que se sente ao ver o rostinho de um filho pela primeira vez! Aqueles olhos arregalados, nos vendo observando, procurando em nós um colo pra aninhar, uma mão pra segurar e se sentir amaparado, é delicioso ser mãe! Meu filho me ama, me toca, abraça, beija, me emociona demais. E ele tem umas reações em que parece que estou me vendo, e em outros momentos parece que estou vendo meu marido lá, rindo, fazendo careta, tão espontâneo, confiante, cheio de personalidade, determinado, quando quer alguma coisa não adianta tentar enganar ou mudar o foco dele, ele já sabe o que quer. É lindo! Ele é muito amado e paparicado! Ele merece!

E eu me acho mais mulher agora! E meu marido mais homem também! Porque filho muda a gente pra melhor, nos faz ver a vida com outros olhos, valorizar coisas e momentos mais simples, dar o nosso melhor pro que realmente é importante.

Ter filho e ser uma mãe de verdade pra ele deveria ser algo que todo mundo tivesse a oportunidade!

E me sinto explendorosa!

Tô grávida de novo!
Tem mais um pedacinho da gente aqui dentro de mim, mais um príncipe ou princesa!

Mais um presente de Deus pra nossas vidas! Coisa mais linda! Que Deus mais lindo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Nada pela metade