quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Cara de Grávida - Acne


Tô a cada dia com mais cara de grávida.

Além de meu nariz estar se arredondando mais e mais, as espinhas estão tomando conta do meu rosto e costas - pareço uma adolecente! E olha que na adolescência eu não tive espinhas, grávida, em compensação, não dá nem prá contar quantas tenho. E preciso me conter pra não cutucar e deixar marcas pra sempre, pois elas coçam e às vezes doem.


Tô lendo sobre acne e deixando aqui umas dicas, que servem pra mim em primeiro lugar (somente os tratamentos naturais - né)


Acne (Cravos e espinhas)
O que é ?

A acne é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Devido a isso, as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos.

A doença não atinge apenas apenas adolescentes, podendo persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, quadro mais frequente em mulheres. As manifestações da doença (cravos e espinhas) ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.

Manifestações clínicas
A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, sendo, na maioria da vezes de pequena e média intensidade.

Em alguns casos, o quadro pode tornar-se muito intenso, como a acne conglobata (lesões císticas grandes, inflamatórias, que se intercomunicam por sob a pele) e o acne queloideano (deixa cicatrizes queloideanas após o desaparecimento da inflamação).
O quadro clínico pode ser dividido em quatro estágios:

Acne Grau I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias (espinhas).

Acne Grau II: cravos e "espinhas" pequenas, como pequenas lesões inflamadas e pontos amarelos de pus (pústulas).

Acne Grau III: cravos, "espinhas" pequenas e lesões maiores, mais profundas, dolorosas, avermelhadas e bem inflamadas (cistos).

Acne Grau IV: cravos, "espinhas" pequenas e grandes lesões císticas, comunicantes (acne conglobata), com muita inflamação e aspecto desfigurante.

Tratamento para Grávida

De manhã, ao acordar, lave o rosto, com água fria, usando sabonetes de camomila, calêndula ou loção de limpeza específica. Em seguida, passe, sobre as espinhas, um produto secativo, com ácido salicílico. Em alguns casos, será necessário o tratamento com antibióticos ou ácido retinóico (via oral), hormônios ou aplicação com aparelho de luz azul (que terão de esperar um pouquinho...)

Tratamento Sério

Sendo doença de duração prolongada e algumas vezes desfigurante, a acne deve ser tratada desde o começo, de modo a evitar as suas sequelas, que podem ser cicatrizes na pele ou distúrbios emocionais, devido à importante alteração na auto-estima de jovens acometidos pela acne.

O tratamento pode ser feito com medicações de uso local, visando a desobstrução dos folículos e o controle da proliferação bacteriana e da oleosidade. Podem ser usados também medicamentos via oral, dependendo da intensidade do quadro, geralmente antibióticos para controlar a infecção ou, no caso de pacientes do sexo feminino, terapia hormonal com medicações anti-androgênicas.

A limpeza de pele, que pode ser realizada por esteticistas devidamente capacitadas, tem ação importante para o esvaziamento de lesões não inflamatórias (cravos), evitando a sua transformação em espinhas.

Em casos de acne muito grave (como a acne conglobata), ou resistente aos tratamentos convencionais, pode ser utilizada a isotretinoína - Roacutan, medicação que pode curar definitivamente a acne em cerca de seis a oito meses na grande maioria dos casos.

Apesar de não ter participação na causa da doença, a dieta pode ter influência no curso da acne em algumas pessoas. Alimentos como chocolate, gorduras animais, amendoim e o leite e seus derivados devem ser evitados pelos pacientes que apresentem acne e percebam agravação dos sintomas após a ingestão dos mesmos.

O lado emocional dos pacientes não deve ser menosprezado. A desfiguração causada pela acne mexe com a auto-estima do adolescente, que passa a evitar o contato social com vergonha de suas lesões e das brincadeiras dos colegas. Quando necessário, deve ser fornecido suporte psicológico.

O tratamento da acne deve ser orientado por um médico dermatologista, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. Não use remédios indicados por pessoas leigas ou que tenham um quadro semelhante ao seu. Eles podem não ser apropriados ao seu tipo de pele. A duração do tratamento é longa, geralmente nunca é menor do que seis meses, portanto, paciência. Esclareça suas dúvidas com o dermatologista que o acompanha, ele sempre poderá ajudá-lo.

É importante saber que algumas pessoas apresentam melhoras com certos medicamentos e outras não. Por isso, pode ser que seu médico precise trocar a sua medicação caso o tratamento inicial não esteja surtindo efeito para o controle da doença.

Isotretinoína x Acne

A acne é o martírio de muitos adolescentes. Justamente na época em que a imagem tem tanta importância, surgem os cravos e as espinhas, diminuindo a auto-estima do jovem que, muita vezes, se afasta do convívio social por vergonha ou para evitar as brincadeiras dos colegas.
Alguns casos são resistentes aos tratamentos convencionais, geralmente prolongados e mal tolerados pelos adolescentes. Outros podem se tornar muito graves, deixando cicatrizes. Para estes casos, pode ser utilizada a isotretinoína.

Remédio pode acabar com a doença em 6 a 8 meses

Medicamento derivado da vitamina A, a isotretinoína acaba com a doença, na maioria dos casos, em cerca de 6 a 8 meses. A medicação age nas glândulas sebáceas reduzindo o seu tamanho, diminuindo a secreção do sebo e alterando a sua composição, além de evitar a obstrução da abertura do folículo piloso e de reduzir a inflamação.

Usualmente, percebe-se melhora da acne desde o início do tratamento com a isotretinoína, mas é possível ocorrer uma piora da doença entre a segunda e a sexta semana. Este agravamento vai se reverter logo em seguida, com evolução gradativa para o desaparecimento das lesões.

Efeitos colaterais

No entanto, o uso do remédio exige cautela, pois podem ocorrer efeitos colaterais. O mais grave é a teratogenia, ou seja, a isotretinoína causa defeitos no feto. Por isso, o seu uso é proibido em gestantes, sendo imprescindível realizar teste de gravidez nas mulheres, antes de se iniciar o tratamento. As mulheres que têm vida sexual ativa devem usar 2 métodos anticoncepcionais concomitantes durante e até 2 meses após o tratamento.

Os outros possíveis efeitos colaterais são reversíveis e, quando ocorrem, desaparecem após o término do tratamento:

-ressecamento labial (ocorre em 100% dos casos)
-ressecamento das mucosas bucal, nasal e ocular
-queda de cabelo
-sangramento nasal (devido ao ressecamento da mucosa)
-ressecamento intenso da pele
-dores musculares e nas articulações
-dor de cabeça
-aumento do colesterol e triglicerídeos
-alterações das enzimas hepáticas

Cuidados

-A pele fica mais sensível ao sol, devendo ser protegida com o uso de filtros solares
-É recomendado o uso de umectantes labiais para evitar rachaduras
-Usuários de lentes de contato podem necessitar de lubrificantes oculares com maior frequência
-Não tomar antibióticos do tipo tetraciclina ou seus derivados devido à possibilidade de surgirem efeitos colaterais resultantes da interação entre os medicamentos
-O remédio deve ser ingerido após as refeições
-Deve-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas durante o tratamento

O tratamento da acne com a isotretinoína é, em geral, seguro, desde que seja adequadamente acompanhado pelo médico. Seus efeitos colaterais são bem conhecidos e podem ser controlados através de exames que devem ser solicitados pelo dermatologista responsável pelo tratamento e de acordo com a evolução do paciente.

Nenhum comentário: