quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Vou Ficar Mais Bonita Depois do Parto


Sei que a gestação só dura 9 meses, mas quando olhamos para as mudanças físicas que ocorrem parece que dura uma eternidade. Tudo muda, cai cabelo, a pele fica estranha, uma loucura. Mas como hoje em dia pra tudo tem jeito... Trato de curtir essa fase meio feia, mas linda em significados e sensações, e deixo pra depois do parto a utilização das técnicas disponóveis pra ficar ainda mais bonita - falta modéstia, né?!
Alterações hormonais, fatores hereditários, alimentação inadequada, falta de uma atividade física regular. Ou tudo isso junto. No final da gravidez, você percebe que engordou além da conta, que a pele está diferente, que o cabelo mudou de textura. Nos seios, na barriga e no bumbum, apareceram estrias; pequenos sulcos na perna mostram um começo de celulite.
Desesperar? Jamais.


Converse com seu médico e parta, agora mesmo, para a operação-resgate. Dependendo do caso, bastam pequenos cuidados para que tudo volte ao lugar. E aí, o que está esperando?
ROSTO

Manchas: Difícil escapar delas, na gravidez, se você tem pele clara e alguma predisposição genética. De tonalidade escura e também chamadas de melasmas, surgem, principalmente, nas maçãs do rosto, buço e na área embaixo dos olhos, causadas pelas alterações hormonais típicas da fase e pela exposição solar, sem protetor.

Tem solução: Se forem superficiais, podem regredir após o parto somente com o uso diário de filtros solares e evitando-se tomar sol diretamente no rosto, até que desapareçam. Estão indicados, ainda os cremes clareadores (à base de ácidos glicólico, retinóico, kójico e hidroquinona), o peeling (com ácido retinóico, ácido salicílico e tricloroacético), menos para mulheres de pele morena e, sempre com o cuidado de se evitar o sol logo após a sessão. Para as manchas mais profundas, recomenda-se o uso de ácido retinóico (isotretinoína), via oral, e o tratamento com aparelho de luz pulsada.


Espinhas: Aparecem, durante a gestação, em conseqüência da intensa atividade hormonal e, ainda, pelo uso de cosméticos à base de óleos. Podem permanecer até por volta do terceiro ou quarto mês após o parto, principalmente nas mulheres de pele oleosa.


Tem solução: De manhã, ao acordar, lave o rosto, com água fria, usando sabonetes de camomila, calêndula ou loção de limpeza específica. Em seguida, passe, sobre as espinhas, um produto secativo, com ácido salicílico. Em alguns casos, será necessário o tratamento com antibióticos ou ácido retinóico (via oral), hormônios ou aplicação com aparelho de luz azul.


Olheiras:Além de fatores hereditários, a atuação dos hormônios da gravidez dilata os vasinhos ao redor dos olhos, aumentando sua pigmentação.


Tem solução: Podem até ser disfarçadas com maquiagem corretiva ou atenuadas com o uso de compressas geladas de chá de camomila. Mas para acabar com elas, pode-se começar pelo cremes clareadores e descongestionantes, à base de hidroquinona, vitaminas C e K, extratos vegetais (calêndula, azuleno, chá verde, camomila). O peeling também está indicado, assim como sessões com o aparelho de luz pulsada ou o laser de rubi.


Pele cansada: Noites mal dormidas, e um dia com tantas atividades que parece que não vai acabar nunca. A nova rotina se reflete no seu rosto, com aparência cansada, abatida.


Tem solução: Em uma horinha de folga, deite no sofá, relaxe e aplique no rosto compressas geladas de chá preto. Outra opção: passar um pouco de clara de ovo, deixando por 15 a 20 minutos. Depois, lave bem a pele com água gelada e sabonete neutro.


Nariz inchado: O bebê já nasceu, mas o nariz continua um pouco inchado e o rosto ainda redondinho. É normal e, logo, logo, você terá a aparência de antes. Ou até mais bonita.


Tem solução: A maquiagem pode disfarçar, enquanto seu nariz não volta ao formato anterior. Com as pontas dos dedos, esfumace um pouco de sombra marrom-clara nas laterais.


CABELOS


Queda: Durante a gravidez, com o aumento do nível de estrógeno no organismo, há um aumento, também, no número de fios. Entre o quarto e o oitavo mês após o parto, com a diminuição do hormônio, o cabelo volta ao volume anterior. Outras causas podem ser o stress e o excesso de oleosidade. Em algumas mulheres, a queda é mais acentuada, exigindo um tratamento específico, que, dependendo do caso, só poderá começar depois da amamentação.


Tem solução: Tudo começa por um cardápio mais rico em proteínas animais, betacaroteno (morango, acelora, cenoura, abóbora, tomate, pimentão amarelo ou vermelho), verduras verde-escuras (espinafre, brócolis e agrião). Para os cabelos muito oleosos, o dermatologista vai indicar o uso de xampus e loções específicas. Produtos à base de queratina, aminoácidos, pantotenato de cálcio e vitamina E ajudam, também, a fortalecer os novos fios que estão nascendo.


Fios opacos: Além das alterações hormonais, o uso de xampus inadequados ao tipo de cabelo tira seu brilho e movimento.


Tem solução: Na lavagem, use formulações anti-resíduos, que eliminam o que resta de produtos nos fios. Peça, também, ao seu dermatologista que indique cremes contendo mica e substâncias luminescentes. Uma dica: com um pente de dentes largos, puxe os cabelos para trás, com delicadeza levando a oleosidade da raiz ao comprimento dos fios.


CORPO


Estrias: Além da predisposição genética, a distensão rápida e excessiva da pele causa o aparecimento das estrias durante a gravidez – nos seios, na barriga e no bumbum. Logo que surgem, as linhas têm uma coloração avermelhada, que, com o tempo, ficam esbranquiçadas e mais difíceis de serem removidas.


Tem solução: Em primeiro lugar, uma dieta para não engordar ainda mais e aumentar a distensão dos tecidos. Começar ou retornar a uma atividade física também é importantíssimo, até porque evita o ganho de peso. No tratamento local, use, com a orientação do dermatologista, cremes à base de ácido retinóico. Em casos mais acentuados, recomenda-se a aplicação de laser, luz pulsada ou jatos de microcristais, sempre com indicação médica.


Celulite: Os fatores hereditários pioram a situação, sim, mas a celulite está ligada, também, à retenção de líquido, excesso de peso, dificuldades circulatórias, alterações hormonais e ao stress.


Tem solução: Comece, mudando seu estilo de vida: hábitos alimentares mais saudáveis e atividade física regular, sempre com orientação médica, para saber, inclusive, quando começar os exercícios, quais os mais adequados e que tipo de cardápio adotar durante a amamentação. Difícil eliminar o stress, mas tente controlar a ansiedade, natural nestes primeiros momentos com o bebê.


Dependendo do nível da celulite, será necessário procurar outros tratamentos específicos, mas que só podem começar depois da amamentação.


Primeiro, a drenagem linfática (manual ou com aparelhos), uma espécie de massagem que ajuda a dissolver os nódulos de gordura, que são, então, eliminados pelo organismo.


A mesoterapia (microinjeções, com substâncias vasodilatadoras, na derme e no tecido subcutâneo) age diretamente na região afetada, com resultados melhores nas celulites mais recentes.Também neste caso, o tratamento com ondas de ultra-som tem efeito garantido. O aparelho atua diretamente nas células gordurosas, drenando-as e promovendo a eliminação do líquido retido.


Nada deu certo? Hora de partir para uma lipoaspiração. O médico faz pequenas incisões, em toda a área a ser corrigida, e introduz pequenas cânulas conectadas a uma seringa que aspira a gordura retida ali.


UNHAS: Ficam fracas e quebradiças pela deficiência de cálcio na dieta durante a gravidez, por stress ou hipertireodismo.


Tem solução: uma alimentação rica em cálcio, proteínas, zinco, magnésio, vitaminas A, E, C, D e as do complexo B. Use, também, esmaltes fortalecedores.

Nenhum comentário: