sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Boas Festas!


Aqui em Belo Horizonte, mais um dia de chuva.

Chuvarada essa que me deixou sem net em casa desde o dia 24 - uma lástima!

Tanta coisa na cabeça pra compartilhar sobre o Natal...mas fica pra depois.

Continuo sem acesso de casa, e por isso, esse post vai ser bem direto: saudades de escrever e desejos de muitas realizações, festas lindas e cheias de alegrias, confraternizações super animadas, reencontros prazerosos e muitos, muitos sonhos realizados, com saúde, paz e verdade!


Boas Festas!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Mais chuva!


Ontem estava aqui comemorando a estiada, mas já apreensiva com as previsões metereológicas, que diziam que teríamos mais chuvas. E teve! Ontem no final da tarde e à noite choveu muito. Chuva típica de verão, com muitos raios e trovoadas, até fiquei sem net.

Amanheceu com um solzinho tímido acompanhado por alguns choviscos - mas o dia tá lindo!

Às vésperas do Natal, é momento de refletir, rever conceitos, refazer planos, fazer um balanço geral da vida, repensar atitudes e mudar o que for preciso pra que o ano novo seja, realmente, de novidade.

Eu sempre tenho dessas melancolias quando o final do ano se aproxima, sinto que preciso me renovar, tirar fora o que estiver pesando contra mim, entendem? Coloco sempre uma expectativa acima do comum no ano vindouro, penso positivo mesmo! A gente tem que acreditar, ter fé de que dias mais lindos virão, que pessoas serão melhores, que erros serão menores, que a vida será mais gostosa de viver, e que a gente vai ter mais tempo pra fazer o que realmente gosta de fazer.

Não acho perda de tempo nem bobagem querer mudar e querer que a vida melhore. Porque apesar de todas as adversidades, de toda crise que o mundo atravessa a duras penas, se a gente mudar a gente, cada um tirar de si o que tá pesando, e cada um acreditar, ter fé que Deus pode todas as coisas, mesmo, de coração, acontecer essa melhoria geral no mundo, na vida, se torna mais que um sonho, se fará real.
A gente precisa ser como criança: não desiste quando escuta um ou vários "não", não fica lembrando de tristezas, não "fica de mal" por muito tempo - logo esquece a mágoa e já está toda sorrisos, a cada presente que se apresenta sorri - não fica procurando defeitos em tudo, e principalmente, se expressa com verdade, sem meia verdade, sem fazer cena, sem pretensão. Apenas age de acordo com o que está sentindo. Vive intensamente e acreditando que tudo tem muita cor.

Feliz Natal! Feliz 2009! Feliz vida nova pra vocês!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Dias claros!


Que alegria esses dias de sol!

Também depois de tanta chuva, tanta notícia ruim pela TV, tanto cheiro de molhado aqui dentro de casa, dias de sol, são o que eu estava pedindo a Deus.

E Deus me atendeu! Aleluia! Desde 5ª a tarde que a chuva deu uma amenizada, com raras aparições, teve momentos de calor intenso, sol bem forte e muita arrumação.

Se aqui em casa, que não teve nenhum problema sério de alagamento essas coisas, o sol já fez toda a diferença, imagino em Betim, Cataguases e Brumadinho - e isso, só pra citar só 3 cidades, porque a lista das que decretaram situação de emergência, passa de 40 -lavei roupa, arrumei casa, coloquei almofadas pra tomar sol - porque tanto tempo de dias de chuva, fica tudo frio, úmido, carecendo de um pouco de calor.

Fiquei até ausente da net: não tive tempo. Aproveitei, pra além de arrumar muitas coisinhas aqui em casa, visitar o angiologista - que vinha adiando há tempos, comprei algumas coisinhas que precisava - e queria também.

Ganhei do meu maridão uma rasteirinha linda e uma bota - tive de trocar a bota, porque estava muito certinha, avisando que ia apertar se ficasse mais de 15 minutos de pé.

Fui a formatura da minha maninha: Parabéns Kel! Essa é só a primeira de muitas vitórias que você vai saborear! Torço muito por você!

Levei os meninos pra verem a bisavó, (pois ninguém merece sair de casa com bebês em dias de chuva) e ensaiamos (essa parte foi demais! Glória a Deus! O ensaio foi muito bom, principalmente, por ser o primeiro com o novo tecladista, fluiu sabe. Estamos muito empolgados!)

O que não passou de vez, infelizmente, foi a dor de cabeça. É Renata, acredita? Vou ir ao médico olhar isso, pois está como um ioiô: tomo remédio e ela vai embora, passa um tempo ou um dia inteiro, e ela torna a me atacar. Vou ver se é a sinusite, e o que quer que seja, tratar, pois sentir dor é muito ruim.

Agora, acabei de chegar do salão. Depois de muito enrolar e refletir, voltei a ser loira. Não tão loira como antes de engravidar, porque quando a gente começa a fazer mechas não faz tanta diferença, mas com uma cor que eu gostei muito (preciso até mudar a foto do perfil).

Mudar faz tão bem, não é? A gente se sente renovada - de cara e alma novas!

Pra quem não vou ver nem falar até o Natal, já deixo meus votos de muita felicidade, saúde, paz e festas deliciosas.

Pra quem perdeu coisas ou pessoas com essa chuvarada que passou, fica meu carinho especial: Não desista de viver! Não se feche! Aproveite o clima festivo dessa época pra renovar suas esperanças, pra alimentar a sua fé. Deus cuida de você! Mesmo com todas as adversidades Ele te sustenta e te ama, tanto que deu Seu único filho - Jesus!

E estejamos atentos e solidários, pois a metereologia prevê novas chuvas fortes para as mesmas regiões. Estenda a mão e ajude como você puder, vai te fazer tão bem: melhor é dar do que receber!

Reflita sobre esse verso tão sábio. Quando a gente tem oportunidade de estar ajudando é bem melhor que quando estamos precisando de socorro. Então socorra a quem estiver ao seu alcance.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Ai que dor de cabeça!


Puxa! Tô com uma baita dor de cabeça!

Daquelas que a gente sente a cabeça sacudindo por dentro, como se tivesse um pedaço solto.

Vai ver tem algum parafuso solto mesmo, né? Só sei que tá difícil aguentar sem tomar remédio. Não gosto de ficar toda hora me entupindo de remédio pra dor de cabeça, acho que isso deve viciar nosso organismo, por isso só tomo se não estiver mesmo resistindo à dor. Se já tiver tentado dormir, me alimentar ou mesmo espairecer um pouquinho.

Talvez seja porque ainda há pouco a chuva ficou tanto forte que tive que fechar as janelas, daí a casa ficou abafada, com esse calor todo. Tomara! Mas como meus limites já foram superados, vou tomar um comprimido. Não sou de ferro!

Estou torcendo para que os metereologistas acertem e, que amanhã, essa chuva dê trégua.

AI QUE SAUDADE DO SOL!

Saudade mesmo! Pois afinal, ele já não dá as caras há quase uma semana, salvo alguns minutinhos em que ameaçou, mas ameaça só não tira essa umidade e quase mofo, nem dá um alívio para as incontáveis pessoas que estão em situação de risco...

Mas como o que posso fazer é pedir pra Deus, me resta crer que o sol vai aparecer.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Chuva e mais chuva!


Belo Horizonte está debaixo de chuva desde 5ª feira.

Houveram alguns poucos momentos sem chuva, e por isso, a Defesa Civil está em alerta. Muitos alagamentos, rios e córregos acima do nível normal, e muitos riscos de desabamento.

Por toda Minas Gerais já são 8 mortos.

É lindo ver a chuva e uma delícia fazer algumas coisinhas que dão mais prazer com esse tempinho frio, como assistir filmes, ficar à tarde debaixo das cobertas, tomar chocolate quente, namorar...

Mas tem muitas outras que não dá pra fazer, e pior ainda, tem gente que não consegue dormir de preocupação com sua segurança e de seus queridos, e a quantidade de acidentes de carro sobe consideravelmente.

Então, minha torcida é pra que estie, seque o solo, as encostas e que o sol dê as caras.

Afinal, sol e calor nos deixam mais alegres e com o astral lá em cima, além de ser bem mais gostoso sair de casa pra visitar amigos e lugares nessa época Natalina.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Menino ensina conquistar meninas

No post anterior, fiquei devendo colocar a matéria onde li sobre o tal menino.
Taí, saiu na Época.
Menino de 9 anos ensina, em livro, como conquistar garotas
Redação escolar do americano Alec Greven vira best seller de auto-ajuda e vai virar filme em Hollywood
 Reprodução
Alec: "Garotas não gostam de meninos desesperados"

Ele é um autor publicado, tem estilo próprio - e 9 anos de idade. O estudante americano Alec Greven virou uma espécie de celebridade ao escrever How to Talk to Girls ("como falar com as garotas"), publicado no mês passado nos Estados Unidos. Entrevistado em programas de TV famosos, o menino faz sucesso com conselhos sobre como lidar com as garotas e suas dicas devem virar filme pela Fox.

O guia, que inclui recomendações como não se mostrar desesperado e dar atenção e presentes às meninas, foi escrito primeiro como uma redação de escola. Seu objetivo, segundo Alec, era ajudar os meninos a lidar com suas paixões. "Eu queria dizer que existe uma menina para todo garoto, para eles não desistirem e não acharem que elas são rudes. Elas são só meninas", afirmou. Os professores gostaram tanto que pediram permissão para vender a "obra" na feira da escola a US$ 3. As redes de televisão locais ficaram sabendo e alçaram o menino, que mora no Colorado, à condição de celebridade instantânea.

Seu livro, que, em sete capítulos, reúne considerações e conselhos sobre as meninas, não traz novidades, mas tem como qualidade seu tom simples e direto - típico das crianças de sua idade. Sobre os relacionamentos, ele diz: "Às vezes, você consegue fazer com que uma menina goste de você, mas, então, ela o troca por outro. A vida é dura, siga em frente! Ou, às vezes, simplesmente não dá certo. Eu tive uma paixão por uma garota na pré-escola. Então, minha família teve que se mudar e tive que apagá-la da minha mente".

Em outro trecho, Alec fala sobre as paixões: "Muitos garotos apaixonam-se por garotas. Mas pode ser muito difícil fazer uma menina gostar de você. Às vezes, isso leva anos! O que quer que aconteça, não aja com desespero. Garotas não gostam de meninos desesperados. Então, o que fazer se você tem uma queda por uma menina? Você precisa fazer com que ela gosta de você. Você pode exibir suas habilidades, como jogar futebol ou qualquer outra coisa em que você seja bom. Se você está no Ensino Fundamental, tente fazer a garota gostar de você, não amar você. Para isso, espere até o Ensino Médio. Senão, você terá que ficar com ela por um longo tempo e isso seria muito difícil. Dica: a maioria dos garotos do Ensino fundamental pode lidar com uma garota por até 30 dias."

Se esse trecho parece politicamente correto, Alec deixa de lado o discurso básico da auto-ajuda emocional quando recomenda que os garotos imitem alguém legal para conquistar uma menina - e não que sejam eles mesmos. O estudante também defende que as meninas bonitas têm "coração duro" e que as mais comuns são melhores como namoradas.

Se o livro de fato ajudar um garoto a conquistar uma menina, Alec recomenda: refreie seu impulso de comemorar sua conquista na frente da nova namorada. Ela pode desaprovar sua felicidade e dar um fora em você. Como auto-ajuda, um bom divertimento.

Cadê a infância?


A infância acaba cada vez mais cedo, infelizmente para todos, principalmente para os que hoje são pequenininhos e ainda estão pra nascer, pois se esse ritmo só piora, imagine daqui há uns 20 anos?

E isso, não faz parte apenas das estatísticas, não é coisa que só acontece com o outro, longe da gente, já faz parte do nosso dia-a-dia, acontece na nossa vizinhança e em nossas famílias.

Quem não conhece nenhuma adolescente que ficou grávida?

Ou não viu manchetes de jornal mostrando alguma criança que pegou a arma não se sabe de quem e saiu atirando?

E os vícios? Meninos e meninas passam a usar drogas tão novinhos que quase não acreditamos.

E o apelo para a, cada vez mais urgente, iniciação sexual? A necessidade de ter uma vida sentimental ativa é real para meninos e meninas que ainda nem saíram do ensino fundamental. Ninguém quer ser chamado de "BV" ou Boca Virgem, que é a forma como nomeiam quem ainda não experimentou beijar na boca. E de beijo em beijo, iniciam, muito precocemente a vida sexual, passando muitas frustrações, desilusões, medos e depressão. Além das tão conhecidas, porém pouco prevenidas, DST e gestações não planejadas.

Exemplo desse comportamento adulto é o caso de um menino americano, de apenas 9 anos, que escreveu uma redação com conselhos para se conquistar meninas. Crianças que deveriam estar brincando e se divertindo sem as preocupações comuns aos adultos, já estão à procura de auto-ajuda.

Sabemos que essa aceleração do desenvolvimento das crianças não é benéfico a elas, nem a nossa sociedade, mas como freiar essa precocidade? Alguém se arrisca a dizer?

Felicidade pega!

Já viu como quem tá feliz atrai mais gente feliz e quem tá de bode sempre acha um igual?
Ou como quando a gente fica perto de gente muito deprê, logo fica down também e, quando encontramos alguém que sorri largamente e é super alto astral nós logo ficamos assim - mesmo se estivéssemos jururu?
Não se trata de mais uma Lei de Murphy, não.
Foi feita uma pesquisa científica que comprovou que felicidade contagia, assim como um vírus se propaga - igual gripe!
E pode ser transmitido de amigo para amigo, do amigo do amigo, e do amigo do amigo do amigo (a quantidade diminue com a distância afetiva e com a menor frequência de convívio, e infelicidade também pega, mas para nossa alegria, em um percentual bem menor que a felicidade, ou seja, a força dos sentimentos bons é maior, oba!).
Então, vamos tratar de transmitir logo toda essa nossa alegria, de esparramar por aí nossa vontade de viver, de vencer as adversidades e superar nossos próprios limites.
Vamos colocar a infelicidade pra correr, e deixar feliz até o mais "Oh vida! Oh céus!" que cruzar nosso caminho.
Taí a matéria, publicada pela Isto É dessa semana.



Pesquisa revela que o sentimento pode ser transmitido de uma pessoa a outra e se espalhar por sua rede de contatos
 title=

Procurar a felicidade é uma das coisas que o ser humano faz com mais persistência. E o caminho para chegar lá é assunto da literatura às bancadas de pesquisa científica. A última revelação da medicina a esse respeito é que, como um vírus, a felicidade pega. Ela se transmite de uma pessoa a outra e se expande pela rede de relacionamentos. Como uma gripe. A conclusão é de um estudo divulgado este mês pela revista acadêmica British Medical Journal. "A felicidade de uma pessoa é influenciada pela de outros indivíduos a quem ela está conectada de maneira direta ou indireta", afirmou à ISTOÉ um dos autores do trabalho, o americano James Fowler, professor de ciência política da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.

 title=
"A alegria se espalha como um efeito dominó"
James Fowler, da Universidade de Califórnia

A idéia central do trabalho feito por Fowler e seu colega Nicholas Christakis, que ensina sociologia na Universidade de Harvard, é que as redes de relacionamento exercem um papel extremamente importante na propagação e na manutenção da alegria. "As emoções sofrem influência da comunidade. Constatamos que o contentamento se espalha pela comunicação entre parceiros, irmãos e vizinhos próximos. Vimos esse efeito em até três graus de relacionamento", explicou Fowler. De acordo com os cientistas, uma pessoa tem 15% mais chances de usufruir da sensação se estiver em conexão direta com alguém nesse estado de espírito, 10% se um amigo do amigo estiver feliz e 6% se o bem-estar é gerado por um amigo do amigo do amigo. Mas as chances diminuem 7% a cada ser humano amargo que nos rodeia. Porém, nessa questão também há uma boa notícia. "A infelicidade parece ter uma capacidade bem menor de se expandir nas redes de relacionamentos", explica Fowler.

Não é propriamente uma novidade que o contato com pessoas divertidas e alegres levanta o ânimo. Mas não se sabia que o humor de amigos dos amigos pode se propagar de algum modo pela rede de contatos a ponto de influenciar um indivíduo mais distante nessa cadeia. "É um efeito dominó. Você bate no primeiro, ele derruba o segundo e daí por diante", diz Fowler. Para chegar a essas revelações, os cientistas estudaram as fichas clínicas de 4.739 pessoas que tomaram parte no famoso estudo feito na cidade americana de Framingham, entre 1983 e 2003. Voltado à investigação dos riscos para problemas cardiovasculares nessa população, o trabalho também avaliou a saúde mental dos indivíduos. "Submetemos essas pessoas a novos questionários sobre sua felicidade pessoal e comparamos os resultados", relata Fowler.

Como tinham os endereços dos entrevistados, os pesquisadores jogaram essas coordenadas em um mapa e cruzaram os dados para ver se a distância física entre as pessoas contava pontos para a alegria. A resposta foi positiva. Uma pessoa tem mais chances de se sentir feliz se viver a menos de 800 metros de um amigo feliz. O efeito será menor se a pessoa morar a mais de dois quilômetros. "A freqüência do contato parece ter grande importância", acredita Fowler.

 title=

Até agora, a situação mais favorável à transmissão da felicidade encontrada pelos pesquisadores é aquela que aproxima parceiros do mesmo sexo, idade e que atravessam situações de vida semelhantes. Em contrapartida, um ambiente desfavorável para a propagação é o do trabalho. "Isso ocorre possivelmente por causa da competitividade desse meio", diz o cientista.

Na opinião do psicanalista gaúcho Edgar Diefenthaeler, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, uma das explicações para os achados dos pesquisadores americanos pode ser o mecanismo chamado identificação projetiva. "Indivíduos que têm bom trânsito com seus próprios sentimentos, com predomínio de sentimentos bons, podem projetá-los nos outros. E quando objetos e sentimentos bons são depositados em outra pessoa, esta se identifica com eles. O resultado é que ela se sente valorizada e feliz", diz

sábado, 13 de dezembro de 2008

Droga é droga mesmo


Quase inacreditável, que apesar de todos os casos públicos e tão lamentáveis, que terminam sempre com a perda da família ou da carreira (ou de ambos), quando não com a própria vida, ainda existam, pelo Brasil e mundo afora, tantos novos casos de vício em drogas.

Poucos admitem-se viciados e que necessitam de tratamento. Estão sempre achando que são mais fortes que qualquer química a que se submetam, ignorando alertas e apelos dos que desejam sua recuperação. Até nomeiam seu uso como hobbie, passatempo e forma de se abrir, de criar, entre outras descrições de melhor produção artística e pessoal.

O coração de quem ama não enxerga o problema como ele é. Muita gente acha que apenas amando e satisfazendo o outro, ele largará o vício, como se fosse mera distração, desconsiderando as implicações físicas e psicológicas que a droga causa.

Vemos as matérias de mais um fim trágico, já esperado, mas para o qual os mais próximos não estavam preparados: o do ex-marido da Suzana Vieira. Que nunca fora exemplo de conduta, tendo sido expulso da PM, pego em episódios de traição e quebradeira, com variações de comportamento comuns a pessoas desequilibradas.

Seria ele desequilibrado por ser usuário de drogas?

Ou o contrário?

Usuário de drogas exatamente por ser não ser equilibrado?

Fato é, que não tinha mesmo muito caráter, ou ao menos, não deixou nenhuma pista de ter. Vi a mensagem da Ana Maria no programa dela, e concordei com quase tudo que ela falou. Acho que ela foi infeliz em dizer que ele deveria morrer, porque quem decidi isso é Deus. De resto, ele era mesmo um abutre, um aproveitador, um gigolô que dependia do trabalho e esforço dos outros pra se manter, que mesmo não sendo um artista queria integrar o mundo deles, um boa vida que queria se dar bem a qualquer preço - e precisava né, pois seu estilo de vida e sua necessidade por cocaína não saíam barato.

Mas ser esse tipinho aproveitador deve ser algo que tem haver com o meio familiar dele, já que agora andam culpando Ana Maria e Suzana pelo aumento em seu consumo de droga, porque ficou muito chateado com o que escutou e com a perda das mordomias após o fim do casamento (fim provocado pelas puladas de cerca dele).

Faça-me o favor!

Ninguém pode responsabilizar o outro pela estupidez de se embrenhar por esse caminho.

Somos de carne e osso, suscetíveis a erros, a vícios e a descontrole emocional, mas isso não parte do outro, parte de nós mesmos.

Nós é que somos os responsáveis pela nossa felicidade e se damos a outros essa responsabilidade seremos, frequentemente, frustrados, pois ninguém é perfeito.

Chega de drogas, de bebidas, de sexo, de compras, de cigarro, de relacionamentos e de tudo o mais que você usa para mascarar a realidade, pra escapar de suas decisões, pra fugir da sua responsabilidade com você mesmo e com os outros.

Nada que pode te fazer dependente presta! Nada mesmo!

Se você ou um querido já está dependente de algo pra viver, se tem algo do qual você quer se livrar e não consegue, mude de direção.

Peça ajuda a Deus. Creia que Ele te faz capaz de vencer a tentação.

Procure grupos de apoio como o AA. Existem grupos pra ajudar em todas as situações, quando pessoas que tem problema semelhante se apoiam as chances de sucesso são maiores - sem falar nos que já venceram e estarão lá pra aconselhar.

Procure-os e se abra, pare de sofrer e de fazer outros sofrerem por você.

Pra tudo tem jeito, só pra quem já morreu, como o Marcelo, é que não. Perdeu a vida, ainda tão jovem e deixou dor e tristeza.

Faça diferente!

Caráter é indispensável

"Dinheiro perdido, nada perdido;
Saúde perdida, muito perdido;
Caráter perdido, tudo perdido."

Verdade absoluta! Quando uma pessoa perde seu caráter, perde todo o resto. Por que de que adiantará ganhar o que for sem caráter?

Torna-se desmerecida toda conquista, não é mais digno nem de ter a melhor saúde ou a maior quantia de dinheiro que se possa imaginar. Pois ela, sem caráter, não tem mais valor, e assim, também, tudo o que tem.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

A verdadeira amizade


Essa semana resolvi passar na locadora e pegar vários filmes - cinema ultimamente é bem difícil, pois não é muito fácil deixar pra trás as crias - e tenho visto todo dia, pelo menos um.

Dentre minhas locações, peguei O Caçador de Pipas, baseado no livro homónimo, que eu já li há um tempinho. Na maioria das vezes o filme é muito superficial e não consegue tirar a verdadeira essência e sentido do livro, ao menos é o que sinto, mas desse filme, apesar da ausência de muitos detalhes, eu gostei muito.

Ontem conversando com meu maridão refletimos e expusemos os temas abordados pelo filme. É claro que é estarrecedor e repugnante ver todas aquelas atrocidades cometidas contra o povo afegão, contra crianças e contra integrantes de grupos étnicos que são minoria, que por essa razão são tão assolados, além de como todo país sofre com invasões, guerras e ditadura. Mas me marca ainda mais, comparar o caráter daquelas duas crianças de personalidades e opções tão diferentes.

O rico, de etnia dominante, cheio de privilégios e que recebeu boa educação, é um covarde, egoísta, desleal, desonesto, mentiroso e impiedoso.

Já Hassan, pobre, passa a maior parte do tempo trabalhando pesado - principalmente para uma criança, discriminado, considerado inferior, é analfabeto, mas é completamente leal, companheiro, não guarda rancor, oferece a outra face, não pensa nos próprios interesses, mas vive em função da felicidade de quem é amigo.

Não que o outro tenha por ele amizade, isso não importa pra ele.

O que importa é que ele seja amigo do outro. Importa que ele ame e se ocupe em cercar de cuidados e realizações o pobre menino rico. Que tem tanto, mas não vale nada, que se omite, foge, ira-se e se empenha em afundar ainda mais Hassan, porque é covarde, não se arrepende - porque arrependimento gera mudança, mas sente remorso, culpa, e o que quer para se livrar desse sentimento é se ver longe do outro, sem precisar olhá-lo nos olhos.

Meu marido comparou esse amigo leal e que ama incondicionalmente a nosso Deus.

E no nosso relacionamento com Ele, infelizmente pra nós, é exatamente assim. Nós pecamos e nos afastamos, nos escondemos, culpamos a perfeição de Deus por nossas falhas, o culpamos por fazer de nós quem somos, não o agradecemos todas as coisas que faz por nós, não reconhecemos seu amor por nós, achamos que seus cuidados são sua obrigação, não damos a Ele atenção e só o procuramos quando precisamos d´Ele, quando alguém fala mau d´Ele, nem sempre, mostramos que estamos a Seu lado, na maioria dos minutos do nosso dia, nos o negamos através de atitudes das quais Ele não se agrada.

Tratamos nosso Deus como empregado, mas Ele nos trata com maior amor que um amigo de verdade pode ter. Mesmo com todas as nossas falhas e opções erradas que fazemos, Ele não nos condena e está sempre a espera de nossa mudança, tanto que nos deu um advogado - Jesus.

Se você quer ser tão amigo de Deus quanto Ele é seu, comece a valorizar seu relacionamento com Ele. Comece a espelhar suas atitudes nas d´Ele.

Somos falhos, erramos mesmo quando queremos acertar, mas não faça de suas limitações desculpa pra viver no erro. Passe a se esforçar mais em cultivar sentimentos, palavras e atitudes que o próprio Deus teria nas situações do seu dia-a-dia.

Deus vai te ajudar.

Se já cuida de você sem você fazer por onde, imagine quando Ele começar a ver florescer em você e, através de você, as qualidades que nem você sabe que tem? Mas que Ele, que te criou, e conhece bem lá no fundo, sabe?

Tenha uma amizade verdadeira com Deus e com o próximo.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

O tempo não pára



"O tempo não pára" - mesmo! Parece que comemoramos o centenário de BH ontem, e olha só, já se passaram mais 11 anos!
Muitos eventos foram promovidos para não deixar essa data passar em branco: teve inauguração de centros culturais, de obras de revitalização do Mercado Central e muitas outras pela cidade afora, teve a inauguração de iluminação de Natal em diversos pontos, teve a X Volta Internacional da Pampulha, além de muitos shows de artistas nacionalmente consagrados e, amanhã, será celebrada uma missa em comemoração do aniversário desta minha adorável cidade.

111 anos! Parabéns Belo Horizonte!

Dia desses, revirando fotos antigas, estava observando uma de quando eu era bebê, tinha uns 10 meses, e desde então já se passaram quase 3 décadas. A infância e a adolescência se foram e, hoje, sou casada, mãe de 2 meninos, com muita história pra contar, muitas realizações, mas também muitos sonhos que foram sendo adiados pelas mais variadas razões, que quero retomar e intensamente viver.


É por isso que eu digo sempre, tem que aproveitar bem cada segundo da vida, porque ela passa muito depressa, e se nos preocupamos demais com coisas que não são essenciais, deixamos de realmente viver.
E quando nos assustarmos, seremos velhos ranzinzas, sem essa saúde e esse vigor de hoje, sem condições, de por exemplo, fazer aquele salto de paraquedas que tanto sonho, que só tem frustrações e um monte de "se": "Se eu tivesse comprado tal carro", "Se eu tivesse ido naquela festa com meus amigos", "Se eu tivesse brincado mais com meu filho", etc.
Enquanto, na minha humilde opinião, o que vale mesmo na vida, é chegar a velhice com a sensação de ter feito aquilo que nos faz felizes: cuidar da nossa alimentação - sem muito radicalismo, mas de forma balanceada pra que tenhamos saúde e um corpo legal, com o qual nos aceitemos e possamos vestir o que der vontade, sem ficar cheia de grilos, trabalhar pra viver, curtir muito a família e os amigos, namorar muito, escutar música, assistir filmes, viajar, se aventurar por lugares antes desconhecidos, rir muito, contar piadas, aprender coisas novas e fazer o que estiver ao alcance pela felicidade - minha e de quantos mais eu for capaz.

Ser gratos a Deus o tempo todo, por tudo e, a Ele, somente a Ele, adorar e bendizer, pelo privilégio de ter mais um dia pra viver, por ter mais uma oportunidade pra ser uma pessoa boa e feliz, que não segue as regras desse mundo, nem se alia à maldade e nem deixa seu coração esfriar por causa da escassez de amor em que o mundo está, mas que faz a sua parte, acreditando que o que você faz, pode não mudar o mundo todo de repente, mas que já é um começo, e que impactará positivamente, ao menos a vida dos que te rodeiam.

Música boa - Família Lima



Não vi essa apresentação pela TV, mas por acaso, passeando pelo You Tube, a encontrei.

E olha que coisa mais linda! Que perfeita combinação de detalhes!

Meus PARABÉNS a Hebe e sua produção, por exibir em canal aberto grupo de tamanha qualidade e bom gosto, coisa cada dia mais rara nesses tempos de mulher-fruta e tanta depravação sendo intitulada de música.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Satriani X Coldplay - Plágio

Desde a primeira vez que escutei "Viva la vida", do coldplay, tive a sensação de já a ter escutado, mas não me lembrava onde, nem de quem. Pensei que fosse a simpatia pela música, sabe, aquelas que você escuta, gosta muito, te deixa pra cima e fica na sua cabeça como se fizesse parte de você? Pois é, mas realmente a tinha escutado, mas por outro músico, Joe Satriani, e se chama "If I could fly".

Satriani move processo contra a banda Coldplay. Ele afirma que soube que era um plágio desde o primeiro segundo que "Viva la vida", e que doeu demais essa apunhalada.


Graças a essa música, que é título do mais recente CD da banda, o Coldplay recebeu 2 indicações ao Grammy, além de outras 5 referentes ao mesmo CD. Satriani quer receber compensações por danos e todos os lucros obtidos com a canção.

domingo, 7 de dezembro de 2008

Capitu


Eu, simplesmente, sou fascinada por figurino de época - acho um luxo!
As mulheres ficam lindas! Com a silhueta perfeitamente desenhada, ressaltando colo, seios e cintura. Essa última, aliás, muito bem marcada.
E os tecidos? O brilho, a textura, o caimento...
Acho maravilhoso! Um arraso mesmo!
Esta semana estreia Capitu, minissérie global baseada em Dom Casmurro, de Machado de Assis. Conta, além do figurino curioso e lindo, com uma trilha sonora inusitada para uma montagem de época - rock, e que pela propaganda, eu já amei.
Li o livro há muitos anos atrás, e agora vou conferir essa nova leitura - espero não me decepcionar...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Barack Obama em vela?


É demais pra mim! Um absurdo! Uma falta de criatividade e bom gosto em demasia... Só falta dizerem por aí "Santo Obama".
Na França, estão sendo vendidas velas de várias cores que trazem o busto do presidente eleito dos EUA, Barack Obama. Mais uma demosntração da esquisita obamamania que cresce pelo mundo a fora.
Vi isso no G1.

Marido de grávida não poderá ser demitido


A Câmara acabou de aprovar um projeto de Lei interessante e necessária, que não permite demissão de futuros papais.

Acho a iniciativa útil e espero que o Senado a aprove logo.

Passei por essa desagradável situação: quando estava no 3º mês da gestação do nosso primeiro filho meu esposo foi demitido, e isso abalou nossas estruturas terrivelmente.

Pense bem: 1º filho, marinheiro de primeira viagem, cheio de dúvidas da própria gravidez e do futuro do pequeno que está por vir, pra completar a angústia e insegurança dessa fase, enfrentar o desemprego é uma barra e tanto, que eu não desejo a ninguém. Deve mexer até com o bebê, pois afetando psicologicamente os pais, a criança também sofre.

Então, vale apoiar a aprovação dessa Lei o mais rápido possível.

Abaixo coloquei a matéria, que saiu hoje na Uol Notícias.


Câmara proíbe demissão de trabalhador cuja mulher esteja grávida; texto vai ao Senado

Da Redação Em São Paulo


A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou nesta quinta (4) o Projeto de Lei 3829/97, que proíbe a dispensa arbitrária ou sem justa causa do trabalhador cuja mulher ou companheira esteja grávida, durante o período de 12 meses. O projeto, do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), segue para o Senado.

Pelo projeto, o período de 12 meses será contado a partir da "concepção presumida", comprovada por laudo de médico vinculado ao SUS (Sistema Único de Saúde). O empregador que desrespeitar a norma está sujeito a multa equivalente a 18 meses de remuneração do empregado.

A medida não se aplica ao trabalhador contratado por tempo determinado, que poderá ser dispensado se o prazo de seu contrato terminar antes que se complete o período de 12 meses.

Chinaglia afirma que o projeto, ao estabelecer um instrumento que permite um aumento da confiança na relação trabalhista, "reintroduz um pouco de solidariedade nas relações econômicas".

As informações são da Agência Câmara

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Sou contra o aborto


Abortar é tirar o direito a vida que um serzinho completamente indefeso tem. Quem pode decidir a hora de viver ou de morrer é unicamente Deus e qualquer outra pessoa que o faz comete assassinato.

Sim, assassinato. E isso é muito grave.

Moral, física e politicamente inviável, fico horrorizada com os que defendem esse repugnante ato.

Envergonha as instituições que realmente se empenham em proteger a vida, o fato de que nossos governantes e muitas outras entidades que deveriam zelar pelo povo estarem empenhadas em tornar o aborto um direito. Dando a toda mulher a opção de assassinar ou não seu próprio filho.

E o SUS? A quantas anda o cuidado com a saúde do povo brasileiro? Nenhuma falha? Supre todas as necessidades? Não. Não é capaz sequer de tratar dos doentes da nossa nação e teria de arcar com mais essa: abortar as inconsequentes que por não cuidar da suas vidas de maneira responsável precisam eliminar o pequeno ser que não teve culpa alguma de ir parar em seu ventre.

E quanto a saúde dessas mulheres que abortam? Muitas pesquisas apontam para o fato de que mulheres que cometem aborto sofrem riscos de infecção, esterilidade e complicações mais graves que podem até levar a morte, fato que não é raro, além de danos psicológicos desastrosos e em alguns casos irreversíveis que as acompanham por toda a vida.

E o bebê? E o direito a vida? E a escolha do pequeno? Seus direitos não merecem respeito?

Não é vida? Não é um ser humano? É sim! É um ser humano indefeso, incapaz de se pronunciar, de se defender de qualquer maltrato, lesão e, obviamente, de um aborto.

Quem falará por ele se o próprio governo, na tentativa de acabar com todos os valores que ainda persistem na sociedade tão distante de Deus e, principalmente, se livrar de suas responsabilidades, insiste agora que abortar é mais um direito, comparável a votar, escolher uma roupa ou filme na TV?

Até a Declaração Universal de Direitos Humanos corre o risco de ser alterada, liberando e promovendo o aborto. Impulsionando ainda mais a libertinagem sexual - liberdade sem responsabilidade.

Se você também deseja que o direito a vida continue, se também não quer que seus impostos sejam revertidos em abortos, acesse o link abaixo, assine o manifesto, e divulgue. Sozinhos não podemos nada, mas a união faz a força.





terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Como criança


A gente devia ser como criança: tem sorriso fácil, não discrimina, não dissimula, não mente, não premedita.

Vive! Vive intensamente cada instante.

Aproveita cada brincadeira, curte ao máximo cada minuto com o coleguinha, e a cada descoberta se entrega sem reservas, sorri, dá pulos, repete a façanha, e é excelente observador.

Eu fico reparando no meu Isaac como é esperto e vivaz, como rapidamente se inteira do ambiente e das pessoas, chega devagar, meio tímido, mas em poucos minutos já está todo enturmado. Observa tão bem todos os detalhes a sua volta que é capaz de repetir até mesmo as mesmas expressões faciais que seu pai faz ao ligar a guitarra, ao afinar, ao tocar e em tudo acrescenta seu brilho.

Somos responsáveis pelo que serão nossos filhos. Somos os responsáveis por deixarem de lado a inocência e muitos se tornarem cruéis e maquiavélicos.

Sim, nós. Pois nossos pequenos nos admiram tanto, que querem ser como nós. Copiam o que temos de bom, e também de ruim. Aliás, de ruim, é ainda mais fácil, pois o homem já tende naturalmente a fazer o que é mau, tendo exemplo dentro de casa então...

Sejamos exemplos de caráter, honestidade e de amor pra nossos filhos. É vendo nosso preconceito que eles se tornam preconceituosos, é por nos verem jogar lixo na rua que também jogam, é por receberem de nós desamor e por nos verem desprezar nosso próximo que eles o fazem.

Sejamos esforçados no sentido de nos aperfeiçoar como ser humano, para que eles sejam pessoas melhores que nós, para que ao fim de sua criação possamos nos orgulhar do que veremos neles, parte de nós. Deve ser lastimável ter que corrigi-los por coisas depreciáveis que tenham se iniciado em nós mesmos.

Que nós a cada dia busquemos aquela criança que um dia fomos, pra ensiná-los a serem sempre transparentes e inteiros. Quem preserva sua alma como a de uma criança, é um adulto melhor e mais feliz, capaz de fazer do mundo um lugar bem mais agradável para si e para todos a sua volta.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Fuja do Cheque Especial


Não é de hoje que os juros do cheque especial são altos e, são o tipo de crédito mais caro do país. Agora, em tempos de crise financeira mundial, segundo pesquisa do Procon-SP, estão ainda mais salgados: Chegaram a 9,24%, em média, no mês de outubro.

A dica é se livrar de vez da dependência do cheque especial, e se possível, de todo tipo de endividamento.

Se pra você, no momento, é impossível, comece a se planejar e, ao menos, tente formas de crédito com taxas menos exorbitantes.

domingo, 30 de novembro de 2008

Remédios e saudade


Como suspeitava, estou mesmo com faringite. E pra não ficar só nesse ite, vários outros: rinite, sinusite... Estou tomando anti alérgicos e antibióticos, além é claro de muito muito líquido.

E a saudade de escrever, de ter tempo e disposição pra me dedicar a algo que me sai tão naturalmente é grande.

Os meninos estão com seus cochilos diurnos desencontrando, assim quase não dá pra escrever. E à noite, me falta disposição, apesar da vontade, pois esses vírus, bactérias e remédios me deixam com o corpo ruim, com mal estar e um pouco de lombeira.

Mas aos poucos estou de volta: tentando aprender com cada situação, e passando nessas linhas o que conseguir e achar que sirva pra mais um aprender.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Faringite


Nesse mês as temperaturas ocilaram muito nessa capital mineira. Meus filhotes não aguentaram o tranco e acabaram resfriados. Como uma coisa leva a outra, o menor ficou com o peito cheio, com dificuldades pra respirar, teve febre, e por fim uma faringite. Já estivemos no médico 3 vezes nas 2 últimas semanas. Como é praticamente impossível evitar o contato dele comigo e com o mais velho, estamos também adoentados. Coisa mais ruim do mundo! Estou a dias sem dormir direito, e me desdobrando em cuidados para que eles se alimentem, e agora, preciso também cuidar de mim. Desde a última 6ª feira estou rouca, tossindo e com congestão nasal. Inclusive nosso primeiro ensaio em estúdio após o retorno da banda foi um fiásco, devido a minha voz estar muito prejudicada e eu estar respirando pela boca.

Desde ontem, estou com dores terríveis no pescoço, ouvido e garganta. Acho que também fui atingida pela faringite. Justo agora, que os pequenos começaram a melhorar estou eu nessa situação.

Pra esclarecer, faringite é uma inflamação da faringe, que é localizada entre amígdalas e laringe - que é onde se forma a voz. Faringite é outro nome dado para a dor de garganta. Pode ser provocada por vírus, que acaba por si só depois de 5 ou 7 dias, ou por bactérias, que deve ser tratada por antibióticos. Existe ainda a faringite crônica, que dura períodos mais longos, e ocorre quando um infecção respiratória ou sinusite se espalha para a garganta. Faringite deve ser tratada, pois pode ser sintoma de uma simples gripe ou resfriado, ou uma coisa mais grave, como mononucleose ou a escarlatina (não vou falar desses aí, pois espero que meu caso seja o mais simples).
Tomar muito muito líquido é importantíssimo, já que alimentos mais consistentes são difíceis de ingerir.

Agora, vou ao médico pra me esclarecer e me tratar, pois não quero que meus filhos peguem de novo nenhum vírus. Chega de passar mal!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Sem limites!


Como se não bastasse todo o sofrimento das vítimas das fortes e contínuas chuvas em Santa Catarina, a quantidade de mortos, desabrigados, desaparecidos e em situação de risco, existem os "espertinhos" que estão se aproveitando da situação para saquear lojas e residências.

É pra ficar chocado, não é? Não tem limites para a maldade? Não tem limites para tirar proveito?

Enquanto muitos se mobilizam para ajudar, com orações, doações, trabalho voluntário e diversas manifestações de solidariedade, sempre existem esses que só pensam em levar vantagem.

As pessoas em situação de risco, além de todos os medos que sofrem, agora tem também, medo de deixar suas casas, mesmo que ameaçadas de queda e desabamento, porque sabem que assim viram alvo fácil de assaltantes e vândalos.

Sabemos que o mais importante é salvar vidas, mas não somos hipócritas a ponto de pensar que a casa, os móveis, as roupas, os álbuns de família, os enfeites da estante e tudo o mais que essas pessoas acumularam durante toda sua existência não têm importância para elas. Tem sim, e muita. Em alguns casos, porque são tudo o que têm mesmo, e em outros pelo valor sentimental, intríseco e pelas lembranças que carregam.

Que bom seria se não existissem no mundo pessoas tão desumanas, individualistas e que só pensam em tirar vantagem, não importando com o sofrimento que as pessoas já estão passando por outras razões mais fortes, e contra as quais não existe remédio, pois foram provocados pela natureza. É quase como diz o ditado: "Chutar cachorro morto!".

Que bom seria se ao menos nessas situações pudessemos ver o verdadeiro amor ao próximo existindo, muito além de palavras, com ações. Parabéns a todos que se solidarizam e ajudam nessa situação específica e, principalmente, se é o que você costuma fazer no seu dia-a-dia. Agindo como um cidadão, como um Cristão, como um ser que consegue olhar para além de suas próprias necessidades, e que fica feliz em ajudar, sabendo que dar é melhor que receber.

Peço ao Senhor que perdoe essas pessoas que estão, de maneira tão infeliz, roubando e fazendo doer ainda mais nessas pessoas que tiveram suas vidas transformadas, de uma hora pra outra, e que terão de começar tudo do zero.

E peço, também, que a chuva dê uma trégua, para que as buscas sejam facilitadas, que o abastecimento de itens básicos, como água, alimentos, remédios, roupas e energia sejam normalizados, e que aos sobreviventes dê força para recomeçar e ir adiante. Que sejam consolados pela perda de seus bens e, principalmente, pela dor da perda de entes queridos.


Indico a leitura de texto que postei ontem, e que, com certeza, mexerá com você, e tomara, te alerte para a necessidade de conhecer Jesus Cristo. Ou se já O conhece, de ter um relacionamento verdadeiro com Ele.



segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Noites mal dormidas


Tenho dormido tão mal esses últimos dias!
Meu corpo está cansado, minhas costas doloridas, meu pescoço rijo, minhas olheiras negras. Coisa tão ruim de se passar, é falta de dormir, ainda pior, quando o motivo é nossos filhos estarem doentinhos.
Eles acordam a todo momento, ficam mais carentes e mesmo quando eles dormem, nós ficamos com o sono leve demais, e toda hora, levantamos pra verificar a temperatura, a respiração e se estão agasalhados. Sem falar dos remédios, seus horários e efeitos colaterais...
Mãe, realmente, abdica muito de sua existência pra cuidar dos filhos. E só ficamos bem quando eles também estão.
Deus, obrigada pelo privilégio de ser mãe! Dá-me força e sabedoria para ser uma boa mãe. Renova minhas energias para passar por esses períodos difíceis e continua me ajudando a cuidar deles.

Sobre a mentira


Dizem por aí que é impossível viver sem uma mentirinha, que é comum, e que existem até mesmo mentiras necessárias.

Eu sou contra esse movimento. Sou contra essa incoenrência na qual caminha a humanidade. Não acho que seja necessário mentir, talvez valha apenas a omissão de verdades absolutas (não preciso dizer pra uma pessoa muito dodoizinha que achei o vestido dela horrível, basta nem me manifestar, mas tem gente que é capaz de mentir dizendo que estava maravilhoso), mas sem distorcê-la ou alterá-la e, detesto que mintam pra mim, que subestimem minha inteligência ou, simplesmente, mintam com a desculpa de estarem se protejendo, ou pior, me protejendo da verdade.

Verdade é verdade e, sempre, mais cedo ou mais tarde, aparece. E quando isto acontece, fico muito brava. Muito mesmo! Pois sinto apenas ter adiado uma atitude ou solução, uma agressão a minha verdade. Sou bem transparente, e num mundo repleto de mentirosos, cada dia mais, me espanto com a capacidade de serem falsas tantas pessoas a minha volta.

Deixo aqui meu protesto: Abaixo a mentira!

sábado, 22 de novembro de 2008

22 de Novembro - Dia do Músico


Aos que nos emocionam e são responsáveis por colocar em nossas vidas um pouco de arte e muita vida: PARABÉNS!

Não consigo imaginar como seria a vida sem música, sem essa coisa que quando ouvimos bate tão fundo que acompanha as batidas do nosso coração, e quando nos damos conta já estamos sacolejando o corpo, batendo os pés, ou completamente tomados por uma dança quase impossível de ser contida.

E a alegria que nós dão? E as lembranças que revivemos? E os lugares aos quais viajamos sem sair do lugar?

Aos músicos e aos que, assim como eu, procuram formas de se aproximar da musicalidade, o meu aplauso.

Prossigam, apesar das dificuldades, deixando fluir o que vocês fazem de melhor - emocionar.

Exigências da vida Moderna - Haja tempo!!‏


Esse texto é do Luís Fernando Veríssimo, que eu admiro muito, e diz muita coisa sobre as coisas que dizem que temos de fazer e de como é que conseguiremos fazer tanta coisa...



Exigências da vida moderna (quem agüenta tudo isso??)
Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio.
E também uma laranja pela vitamina C.

Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água.
E uriná-los, o que consome o dobro do tempo.
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).

Cada dia uma Aspirina, previne infarto.
Uma taça de vinho tinto também.
Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.
Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem.
O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber.

Todos os dias deve-se comer fibra.
Muita, muitíssima fibra.
Fibra suficiente para fazer um pulôver.
Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente.
E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada.
Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia.

E não esqueça de escovar os dentes depois de comer.
Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax.
Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia.

Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma.
Sobram três, desde que você não pegue trânsito.

As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia.
Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma).

E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar delas quando eu estiver viajando.

Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.

Ah! E o sexo.
Todos os dias, tomando o cuidado de não se cair na rotina.
Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução.
Isso leva tempo e nem estou falando de sexo tântrico.

Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação.

Na minha conta são 29 horas por dia.

A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo!!!

Tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes.
Chame os amigos e seus pais.
Beba o vinho, coma a maçã e dê a banana na boca da sua mulher.

Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio.

Agora tenho que ir.

É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro.

E já que vou, levo um jornal...

Tchau....


Se sobrar um tempinho, me manda um e-mail.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Sobre a catapora


Muitas coisas mudam quando nos abrimos para conhecer, aprender mesmo sobre diversos assuntos. Um desses temas que me intrigou foi a atenção dada a catapora quando eu era criança e nos dias de hoje.

Quando eu tinha uns 8 anos peguei catapora. Não sei ao certo quem foi o primeiro a se infectar, mas o fato é que a maioria dos meus primos estavam infectados, e meu irmão também. A única recomendação feita era não coçar as feridas que se espalhavam e se multiplicavam pela pele de todo o corpo, tomar um remédio se tivesse febre e tomar vários banhos com permanganato, que eu adorava, pois dava uma aliviada na coceira e é todo colorido, o que tornava o banho mais divertido. Fora isso, ninguém se preocupava com a preservação da saúde de quem não estava infectado, pelo contrário, diziam que seria bom pegar de uma vez todas as crianças, que assim passava todo mundo junto, de uma só vez, por essa situação, que não tinha nenhuma consequência grave.

Engano de nossas mães! Faltou informação adequada a outras milhares de pessoas. Hoje sei que catapora é uma doença grave, sim. Que a forma mais amena, a que tive - graças a Deus! - realmente se apresenta apenas por lesões na pele, mas que essas, quando coçadas, são porta de entrada para bactérias, que podem atingir o tecido subcutâneo, inflamando-o, que pode levar a pneumonite (infecção viral), pneumonia (bacteriana), meningite asséptica (viral), lesões oculares e até mesmo infecções generalizadas como síndrome do choque tóxico e sepse, que evoluem com rapidez e podem causar falência dos órgãos e morte. A vantagem de se ter enquanto criança é somente a de prevenir se infectar na idade adulta, pois quando adultos essas complicações mais graves ocorrem em número maior.

Outro fato importante de citar é que quando eu era criança esses casos graves eram raros, e que hoje são bem mais frequentes. A vacina oferece de 70% a 90% de proteção, mas não está entre as que são gratuitas. A forma de evitar complicações é evitar que a criança se coce, dando vários banhos e lavando frequentemente as mãos. Quando é leve, dura entre 7 e 10 dias.

Vivendo e aprendendo! Precisamos nos informar melhor para proteger nossas crianças, ir na onda de todos os conselhos dados por nossas avós nem sempre é saudável.

Mães aderem ao banho de balde para recém-nascidos

Vi essa matéria e achei muito interessante, para as mães de plantão, vale a dica. E deixando aqui minha opinião, criança se acalma mesmo após um banho de imersão: dorme com mais facilidade e ainda se diverte. O único problema é a hora de sair do balde - tem que driblar aquela choradeira e os resmungos pedindo pra ficar mais, principalmente, as maiores, como o meu mais velho, que tem 1 ano e 10 meses, e adora água.

Banho de balde não é nenhuma novidade -muitas mães costumam apelar a ele para fazer a higiene de crianças pequenas durante viagens e nos dias de muito calor, na ausência de piscina. Mas o uso diário do acessório, como substituto definitivo da banheira e com bebês que mal saíram da maternidade, está começando a conquistar adeptos em famílias ainda mais criativas.

A atriz Talitha Pereira, 25, mãe de Lis, de um mês e meio, achou graça quando se viu diante da foto de um bebê dentro do balde enquanto navegava na internet. "Mas depois assisti à palestra de um pediatra que ensinava a usá-lo e vi que o bebê se sente mais confortável ali. Me convenci de que é a melhor maneira de dar banho", afirma. Segundo ela, no quinto dia de vida a pequena Lis já dava pulinhos durante o banho, o que lhe garantiu o apelido de "bailarina de balde".

Estripulias à parte, o que está atraindo as mães para o acessório é a promessa de um bebê mais tranqüilo, propagada em sites de relacionamento e listas de discussão na internet. "À noite, dou o banho e ela dorme durante horas", confirma.

Embora não haja pesquisas que comprovem esse benefício, a neonatologista Miriam Rika, do hospital e maternidade São Luiz, diz que os médicos observam uma boa resposta ao banho de imersão na UTI pediátrica, onde foi instituído há cerca de seis anos. "Existem várias hipóteses: pode ser devido à posição em que o bebê fica ou pelo fato de estar submerso do pescoço para baixo."

Intra-uterino

Para o obstetra Antonio Júlio Barbosa, do hospital e maternidade Santa Catarina, a principal vantagem desse tipo de banho em relação ao de banheira é que o bebê "se molda" ao acessório. "Ele tem mais contato com a água, o que mimetiza o meio intra-uterino, que é o que se deseja quando o bebê acabou de nascer", afirma.

O neonatologista Carlos Eduardo Corrêa, que apresentou a "técnica" a Talitha Pereira, indica o balde para o banho da maternidade e para os primeiros dias de vida do bebê.

"Acho que fica mais fácil para os pais segurarem, e a criança chora menos. Faço o banho com o bebê enrolado em um pano, na água quente", diz.

O médico afirma que, por volta dos sete meses, quando a criança começa a querer ficar em pé, o balde é mais seguro do que a banheira.

Embora bebês pequenos como Lis consigam ficar sem apoio no balde por um tempo, o ideal é suspendê-los com as mãos pela região axilar.

No YouTube, há vídeos que mostram os pais segurando seus filhos pelo pescoço. De tão relaxados, alguns pegam no sono ali mesmo.
Fonte: Folha de São Paulo

terça-feira, 18 de novembro de 2008

A formiguinha e a Cigarra (Nova versão)


Recebi essa mensagem, da qual não conheço a autoria, mas a moral da história reflete exatamente o que acredito. Leiam, e depois me ajudem a comentar.

"Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.

Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno. Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem do bate papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha. Seu nome era "trabalho" e seu sobrenome "sempre".

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou um minuto sequer, cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu para valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.

Então, passados alguns dias, começou a esfriar. Era o inverno que estava começando. A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca repleta de comida.

Mas alguém chamava por seu nome do lado de fora da toca. Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu: sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari com um aconchegante casaco de vison.

E a cigarra disse para a formiguinha:

- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris. Será que você poderia cuidar da minha toca?

E a formiguinha respondeu:

- Claro, sem problemas ! Mas o que lhe aconteceu ? Como você conseguiu dinheiro para ir a Paris e comprar esta Ferrari ?

E a cigarra respondeu:

- Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer shows em Paris... A propósito, a amiga deseja algo de lá?

- Desejo sim. Se você encontrar o La Fontaine (autor da fábula original) por lá, manda ele ir para a puta que pariu!!!


Moral da História: "Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu patrão."Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!"


Eu fui criada escutando essa historinha na versão antiga, aquela que diz que você tem de se matar de tanto trabalhar, juntar tudo para um dia mal (que com certeza vai chegar), e se você não se preparar vai ter que pedir ajuda a quem se preparou.

Considero o trabalho muito importante, talvez, uma das coisas mais importantes da nossa vida, que ele deve servir para nos manter e para alcançarmos os bens materiais de que precisamos e que desejamos, além de nos trazer certa dignidade, pois quem não trabalha não é bem visto pelos demais, mas não acredito nessa história de se matar de trabalhar por anos a fio, sem aproveitar a vida, só para ter uma reserva num dia ruim. Acredito inclusive que dias ruins sempre chegam para quem os fica esperando, trabalhando em prol dele. Pois trabalham tanto, se estressam, colocam as necessidades do seu empregador à frente de suas próprias, deixam de curtir seus filhos e cônjuges, não têm lazer, não se alimentam corretamente, não se exercitam, não tiram férias, estão sempre fazendo hora-extra, trabalhando nos finais de semana, levando trabalho para casa, que quando se assustarem, estarão enfartando ou velhos demais para conseguir fazer qualquer coisa, e aí, estarão sozinhos, mau humorados, rabugentos, e tendo à sua volta somente o que juntaram, e terão de gastar mesmo, pra cuidar de si, pra pagar médicos, pra comprar companhia, comprar companhia, etc.

Acredito ser necessário dosar trabalho e prazer, que devemos nos empenhar em trabalhar com o que gostamos, tornando nosso dia o menos massante possível, chegando a ter prazer em sair do aconchego do nosso lar para ir trabalhar. Que no trabalho nossas relações não podem ser de inimigos, por mais que divergências existam, elas devem ser tratadas como possibilidades de crescimento e melhoria, e não motivos pra brigas e picuinhas. E quando sairmos de lá, devemos tentar deixar os problemas de lá, lá. Que devemos sim poupar, mas não em demasia, porque o dia de hoje ainda é mais importante que o amanhã, pois o amanhã não nos pertence.

Acredito que trabalho tem de ter hora pra acabar sim. E quando chegarmos em casa estejamos cheios de amor pra dar, com vontade de dançar até se cansar em uma festa, de saborear aquele prato que só nossa mãe sabe preparar. De nos deixar abraçar por nossos filhos sem adiar afagos e brincadeiras. De tirar férias todo ano. De ter um tempinho só nosso, pra refletir, mudar de direção ou, simplesmente, pra escutar nosso coração bater. Aliás, a quanto tempo você não escuta as batidas do seu coração? E as batidas do coração de seu amor?

Pense nisso! O que é mais importante? Viver pra trabalhar? Ou trabalhar pra viver?

Trabalhos vêm e vão, e a vida? A vida é uma só! Você só tem essa oportunidade para ser feliz e fazer outros felizes. Não dá pra passar a limpo esse rascunho mal escrito por culpa da correria e da má priorização.

Então mude! Mude enquanto é tempo! Enquanto você tem tempo!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Sobre a sabedoria


"A sabedoria torna bons os homens. A simulação da sabedoria torna-os péssimos."

(Juan Luis Vives)


Já passou por alguma situação em que todos a sua volta queriam te dar conselhos e, principalmente, decidir por você, dizendo ter certeza do que deveria ou não ser feito e como?

É terrível como alguns dos mais próximos da gente acham que são tão sábios, que conhecem tanto da vida, que realmente acreditam que o que eles acham que é o melhor é realmente o melhor. Pior, muitas vezes, nem a vida deles anda certa, nem mesmo eles são felizes usando dessa tal sabedoria que dizem ser dotados, mas se metem a dizer de que jeito devemos conduzir nossos esforços e de que maneira devemos viver para sermos felizes.

Quem sabe o que é felicidade pra mim sou eu! E pra mim ser feliz não é alcançar algo que tanto espero, isso pode até me dar muita alegria momentânea, mas passada a euforia, se acaba. Felicidade pra mim é perseguir meus alvos sem me sacrificar demais, tendo prazer na caminhada, estando junto dos que me amam, me alimentando bem, me divertindo e tornando a dura rotina de cada dia menos massante e mais leve. Fazendo cada vez mais coisas de que eu gosto, trabalhando pra viver e vivendo um dia de cada vez, sem valorizar mais o futuro que o agora, porque o que eu tenho mesmo é o hoje, e o amanhã, já entreguei ao Senhor. É Ele quem me conduz, e somente Ele sabe do meu futuro.

Quem sabe como viver feliz também sou eu e, muitas vezes, posso errar, tentando acertar, mas aprendendo a viver da forma que me satisfaz. À minha maneira. Sem me preocupar demais, porque tudo entreguei ao Senhor, e n´Ele todas as coisas são possíveis. E em Sua palavra Ele diz que nos dará o pão nosso de cada dia, então, pra que viver do pão de amanhã?

Isso pode incomodar aqueles que seguem fórmulas rígidas demais, que tornam suas vidas tão sacrificantes em prol de um bem material que nem sabem se terão saúde pra aproveitar. Que fazem do seu dia-a-dia apenas um caminho, não se importam em ter qualquer prazer hoje, pois concentram toda sua esperança num dia que vai chegar, no momento em que vão comprar o carro tal, e aí sim, serão felizes, não importando que para isso tenham passado a vida inteira se alimentando mal, se privando de toda diversão, deixando de comprar uma roupa ou mesmo uma comida melhor porque tudo tem de ser com esforço, tem de viver sempre apertado, porque o que importa é juntar o vil metal.

Peço a Deus que dê a essas pessoas a chance de aprenderem em tempo de mudarem. Porque muitos só mudam, só se conscientizam de que a vida aqui é passageira tarde demais. Muitos quando estão em leito de morte é que se arrependem do quanto foram duros com seus filhos, de como não se divertiu com eles, como não os disse que os amava, de como juntou juntou e só nessa hora se lembrou de que caixão não tem gaveta, e que daqui a gente não leva nada material, de como foi insensível à necessidade dos outros enquanto apenas julgava suas ações por suas medidas tão cruéis.

Peço a Deus, também, que dê a essas pessoas a capacidade de adquirir o que tanto desejam pra que parem de sentir inveja de quem já chegou lá. Pra que se importem menos com a vida alheia, e quem sabe, até sejam capazes de amar ao próximo como a si mesmo, algo tão raro de encontrar, pois fácil mesmo é apontar defeitos e derrotas, dizer como deve fazer, difícil é encontrar quem se alegra com os que cantam, quem chora com os que choram. Acham-se melhor que os outros, mais sábios, superiores e que não precisam compartilhar nada - uma pena! Porque uma das coisas que mais traz felicidade genuína, e que não passa, é o compartilhar - sem medos, sem reservas, dando e recebendo amor, suporte, orações, se alegrando junto e chorando junto, quando necessário.

Se você é sábio sobre seus próprios olhos: cuidado! Quem é realmente sábio o é pelos olhos dos outros, e se torna uma pessoa melhor, um homem bom. Quem é sábio apenas sob seu próprio conceito se torna cada dia pior para os que convivem com ele, e principalmente, para si mesmo.


"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria." Provérbios 9:10

domingo, 16 de novembro de 2008

Eu sou livre - PG


A PORTA FOI ABERTA E POR ELA EU JÁ PASSEI
A PRISÃO QUE ERA CERTA, DELA EU ME LIBERTEI
POR ISSO VOÔ BEM MAIS ALTO
TENHO A VISÃO DE DEUS
O MEU PREÇO JÁ FOI PAGO PELO SANGUE DO CORDEIRO DE DEUS
EU SOU LIVRE
E SUBIREI ATÉ O CÉU
EU SOU LIVRE
E TENHO O DEUS QUE É FIEL
EU SOU LIVRE
E SUBIREI ATÉ O CÉU
EU SOU LIVRE
NÃO TEMEREI, DEUS É FIEL
HOJE VIVO NO ESPÍRITO
POR ISSO TENHO LIBERDADE
DO PASSADO EU NÃO ME LEMBRO
POIS NÃO ESTOU MAIS NO PECADO
VIVO UMA NOVA VIDA
SOU UMA NOVA CRIATURA
O MEU PREÇO JÁ FOI PAGO
EM CRISTO EU VOÔ
BEM MAIS ALTO

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Cartazes de protesto mostram genitália feminina

Trinta outdoors espalhados pelas ruas de Belo Horizonte desde quarta-feira estão dando o que falar. Em cada um deles está estampado uma genitália feminina, parcialmente coberta pelas mãos de uma mulher casada e com unhas pintadas de vermelho. Ao lado da imagem, um vidro de esmalte e o anúncio: "base para unhas fracas". Mas ao contrário do que parece, o cartaz não quer vender nenhum produto. A imagem faz parte do trabalho artístico do pintor carioca Alexandre Vogler, em exposição nos muros da capital e na galeria de arte Carminha Macedo, que também tem o nome estampado nos cartazes. "Esse trabalho é uma crítica ao uso da mulher na publicidade. Hoje a mulher é usada de maneira fetichizada e apelativa para vender qualquer tipo de produto, desde biscoito até carro importado.

Quero que as pessoas reflitam sobre o uso abusivo da mulher em campanhas publicitárias, sempre camufladas", disse o artista. Sobre a polêmica que está causando na cidade, Vogler diz que não considera seu trabalho imoral ou agressivo. "Muitas atitudes realizadas pelo poder público são muito mais chocantes, imorais e até ilegais que a minha arte. Considero sim que o cartaz seja um pouco transgressor, mas coloca as pessoas para pensar", disse. Dois vídeos sobre a idéia da superexploração da mulher podem ser vistos na galeria. A exposição funcionará até 13 de dezembro, na rua Bernardo Guimarães, 1.200, bairro Funcionários.

Fonte: Jornal o Tempo

Dia Mundial do Diabetes


Monumentos serão iluminados de azul - Acima Praça 7 em BH

Em todo o mundo, estima-se que haja 246 milhões de pessoas com diabetes. Até 2025, esse número deve chegar a 380 milhões, segundo a Federação Internacional de Diabetes (IDF, em inglês), entidade vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para chamar atenção da população para o combate à doença, nesta sexta-feira, Dia Mundial do Diabetes, mais de 800 monumentos ou prédios em todo o mundo serão iluminados, especialmente com a cor azul. É o caso do Sydney Opera House, na Austrália, e do London Eye, em Londres.

No Brasil, pelo menos 50 locais vão contar com a iluminação, como o Elevador Lacerda, na Bahia, o Maracanã e o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Masp, em São Paulo.

O símbolo global do diabetes é o círculo azul, desenvolvido como parte da campanha mundial de conscientização "Unidos pelo Diabetes" em 2007. O círculo simboliza a vida e a saúde; o azul reflete o céu que une todas as nações.

Prevalência

Até 2025, o Brasil deverá passar do oitavo para o quarto lugar no ranking mundial de pessoas maiores de 18 anos com diabetes, segundo o Ministério da Saúde. O número de brasileiros nessa faixa etária que vivem com a doença chegará a 17,6 milhões - quase 2,5 vezes mais que os atuais 7,3 milhões de adultos. O aumento significa cerca de 650 mil novos casos por ano.

"Outra questão preocupante é o fato de que para cada indivíduo diagnosticado diabético existe outro que é portador da doença sem saber", explica o médico João Regis Carneiro, membro da Sociedade Brasileira de Diabetes.

O diabetes tipo 1, típico da infância e adolescência, está crescendo mundialmente, segundo o IDF, cerca de 3% ao ano nessa faixa de idade, notadamente na fase pré-escolar. No Brasil, não há estatísticas sobre esse tipo de diabetes, mas estima-se que o número esteja em torno de 600 mil portadores.

Pré-diabetes

Há pessoas que não são diagnosticadas como diabéticos, mas têm índices de glicemia (glicose no sangue) fora da normalidade (glicemia de jejum maior que 100 e menor que 126 mg/dl). Esses indivíduos teriam maior potencial para se tornarem diabéticos. "O número de pessoas portadores de pré-diabetes seria equivalente ao de diabéticos", diz Carneiro.

Sinais de alerta

Muitas pessoas têm diabetes e não sabem por que não apresentam nenhum sintoma. Isso é freqüente no tipo de diabetes que aparece no adulto (tipo 2).

Veja alguns fatores de risco para desenvolver a doença:

- ter parentes (pais, irmãos, tios etc) com diabetes;

- ter excesso de peso (especialmente abdominal);

- ter vida sedentária;

- ter mais de 40 anos;

- ter pressão alta e taxas de colesterol e triglicerídeos elevados;

- fazer uso de medicamentos diabetogênicos (que pode levar ao diabetes, como corticóides e anticoncepcionais, entre outros);

- no caso das mulheres, ter tido filhos pesando mais de 4kg, abortos ou filhos nascidos mortos.

Estudos mais recentes têm mostrado que a síndrome da apnéia do sono e a esteatose hepática (infiltração gordurosa do fígado) também podem ser considerados fatores de risco.

"Idade e herança genética são fatores de risco que não podemos controlar, por isso é importante investir no que é possível evitar, como o fumo, o sedentarismo e o excesso de peso", enfatiza o cardiologista Silvio Reggi, da Universidade Federal de São Paulo.

Mais informações sobre a doença e as comemorações do Dia Mundial do Diabetes podem ser encontradas no endereço http://www.diamundialdodiabetes.org.br/.



Fonte: Uol

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Conselho bom!


Nunca andes pelo caminho traçado, pois ele conduz somente onde outros já foram.

(Graham Bell)


Vi essa frase e achei nela um excelente conselho. Mas dizem que conselho, se fosse bom, seria vendido, não é mesmo? Mas acompanhe meu pensamento sobre o que disse Graham Bell, talvez te possa ser um conselho bom.

Já viu quantos incontáveis livros de auto ajuda, de receitas prontas, de como sair das dívidas, como emagrecer, como isso e como aquilo existem? Já viu que a mesma receita não vale pra todo mundo? Já viu que tem gente que jura de pé junto que tal coisa é boa, vai um fulano e segue a dica à risca e se estrepa, ou no máximo, na melhor das hipóteses, consegue ser como a pessoa que deu a ideia.

Inovar! Sim, inovar é preciso! Inovar na maneira de ver e, principalmente, de viver a vida. Chega de seguir por caminhos pré estabelecidos e que deram certo pra Sicrano e tal. Vamos fazer nosso próprio caminho, pensar nossas próprias ideias, chega de rodar e não sair do lugar, de viver à sombra de alguém que consideramos bom, de buscar caminhos que já existem, de gastar nossa finita energia pra criar coisas que já foram criadas, de investir nosso tempo e dinheiro em ideias que já foram concebidas, em invenções que já funcionam por aí. Isso é pouco! Talvez bom o suficiente pra quem é acomodado e conformado em ser o último da fila, que apenas reage ante às situações, que é como um xerox dos outros e que segue por caminhos que já foram desbravados deixando pra traz sua própria identidade.

Sejamos audaciosos, ousados e acreditemos mais em nossa própria capacidade intuitiva, criativa e produtiva. Tomemos pra nós a obrigação de fazer de nossa existência única, de nossos caminhos novidade e de nossas conquistas mais saborosas e autênticas.

Nós fomos feitos por Deus dotados de um inteligência capaz de criar e de transformar, de dominar e ir adiante. Chega de seguir pelos mesmos atalhos, de facilitar as coisas fazendo igualzinho fulano. "Ah! Mas pra ele deu certo!". Mas pra você a vida reserva ainda mais, creia que Deus te fez capaz e te dará condições de prosseguir com suas particularidades, do seu jeito. Você é único e seu sucesso também!