quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

PROBLEMAS DE ALIMENTAÇÃO INFANTIL


O Isaac tem um apetite completamente "de lua". Gosta de leite e vitamina de frutas. Adora laranja, manga, uva e morangos. Mas não dá a mínima pra banana, mamão e maça. E comida de verdade ele sempre prova fazendo careta - depois da segunda colherada decide se gosta e se continua a comer. Carne ele sempre aceita - e ainda briga quando acaba o pedaço dele. Na maioria das vezes come muito pouco (segundo o meu ponto de vista e comparação com outras ciranças), mas não o forço a comer, ofereço e o deixo à vontade. Claro que se está doentinho e fica com pouco apetite eu insisto um pouco mais, mas normalmente deixo ele decidir o que e quanto quer comer ou beber. O que muito me alegra é o fato de ele gostar muito de sucos e beber água generosamente, assim não desidrata.




Seguem alguns conselhos pra quem tem filho:







Falta de apetite

Em muitas ocasiões os pais, com um grande desejo de que a criança esteja bem nutrida, fazem da hora da comida o momento de mais tensão no lar, com angústias, ansiedades e recriminações à conduta da criança diante do alimento.
Come-se por necessidade, não por obrigação
A fome é a necessidade do alimento, diferente do apetite que é o desejo de satisfazer um gosto. A conduta alimentar necessita um guia e ninguém melhor que a mãe para valorizar este ato de grande importância no crescimento físico e emocional do filho.
Aqui vão algumas dicas de como contornar este problema:


- A hora da comida deve ser agradável para a criança. Evite condicionar qualquer castigo se ela não terminar o prato

- Ajude a criança a conhecer a comida. Sirva a comida num prato maior, porém com a mesma quantidade de costume, assim ela terá a impressão de que há pouca comida dentro de seu prato.

- Deixe que a própria criança se sirva, isso lhe dará autonomia para mostrar seus gostos alimentícios.
- Sempre que puder permita que seu filho coma com você para que observe dos hábitos alimentícios da família.
- Não pretenda que seu filho coma a mesma quantidade de alimento que você. Deixe que ele decida e coma a quantidade de comida que necessita para satisfazer sua fome e desenvolver de forma saudável seus próprios gostos.
Se o problema persistir e chegar a criar mal-estar emocional sem soluções na família, é melhor consultar um especialista.

Fonte: Canal CyberBaby

Nenhum comentário: