Sobre o Carnaval


O ano mal começou e todos já planejam curtir o feirado de Carnaval.


Alguns, como eu, aproveitam os dias de folga para descansar ou participar de retiros em sua Igreja, mas a maioria aproveita para "brincar" o Carnaval, se entregar às festividades, aos bailes e desfiles, à bebedeira e todo tipo de orgia e libertinagem. Fiz uma pesquisa sobre o origem do Carnaval, que é uma festa pagã aceita pela Igreja Católica.


Segundo Wikipédia o Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar que tem suas origens na Antiguidade e recuperadas pelo Cristianismo, que começava no dia de Reis (Epifania) e acabava na 4ª feira de cinzas, às vésperas da Quaresma. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou "carne nada vale" dando origem ao termo "Carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. As cidades de Paris e Veneza foram os grandes modelos exportadores da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no Carnaval francês para implantar suas novas festas carnavalescas.


Atualmente o Carnaval do Rio de Janeiro, Brasil é considerado um dos mais importantes desfiles do mundo. Em Portugal, existe uma grande tradição carnavalesca, nomeadamente os Carnavais de Ovar, Podence, Loulé, Sesimbra, Rio Maior, Torres Vedras e Sines, destacando-se o de Torres Vedras, Carnaval de Torres, por possuir o Carnaval mais antigo e dito o mais português de Portugal, que se mantém popular e fiel à tradição rejeitando o samba e outros estrangeirismos.
Juntamente com o Carnaval de Canas de Senhorim com perto de 400 anos e tradições únicas como os Pizões, as Paneladas, Queima do Entrudo, Despique entre outras.

História e etimologia


Para alguns pesquisadores o Carnaval tem raízes históricas que remontam aos bacanais (Bacanal é uma festa em homenagem a Baco, deus do vinho, sendo hoje uma designação para festas libertinosas, banquetes crapulosos e orgias) e a festejos similares em Roma; alguns historiadores mais ousados chegam mesmo a relacionar o Carnaval a celebrações em homenagem à deusa Ísis ou ao deus Osíris, no Antigo Egito. Uma outra corrente acredita que a festa iniciou-se com a adoção do calendário cristão.


Em Roma havia uma festa, a Saturnália, em que um carro no formato de navio abria caminho em meio à multidão, que usava máscaras e promovia as mais diversas brincadeiras. Essa festa foi incorporada pela Igreja Católica, e segundo alguns a origem da palavra Carnaval é carrum navalis (carro naval). Essa etimologia, entretanto, já foi contestada. Actualmente a mais aceita é a que liga a palavra "Carnaval" à expressão carne levare, ou seja, afastar a carne, uma espécie de último momento de alegria e festejos profanos antes do período triste da quaresma.


Em 1091 a data da Quaresma foi definitivamente estabelecida pela Igreja Católica; como consequência indireta disso, o período de Carnaval se estabeleceu na sociedade ocidental, sofrendo, entretanto, certa oposição da Igreja, na Europa. Embora alguns papas tenham permitido o festejo, outros o combateram vivamente, como o Para Inocêncio II.
À seqüência do Renascimento o Carnaval adotou o baile de máscaras, e também as fantasias e carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual, que se preserva especialmente em regiões da França, Itátia e Espanha.

E depois?

Depois vem a depressão, o remorso, a tristeza pela perda de amigos e familiares, a tristeza por ter contraído doenças sexualmente transmissíveis, pelas crianças geradas que não saberão quem são seus pais, pelos abortos, pelos ruobos, etc e etc.

E mesmo assim, é logo depois que já se guardam as fantasias e alegorias para repaginar e começar a planejar o próximo Carnaval - uma lástima!


Nos resta Orar

Orar e jejuar para que os olhos destas multidões que se embriagam e se entregam a concupiscência da carne tenham as vendas tiradas dos olhos. E entendam que não é a vontade de Deus que ocorra esta festa. Festa que tem estatísticas muito tristes, com gritante aumento da violência, estupros, assaltos, overdoses, brigas, acidentes de carro e mortes, muitas mortes. Além da prostituição, promiscuidade, lascívia, luxúria, avareza, fornicação, adultério, e tantos outros pecados também atingirem seu auge, graças aos excessos de drogas, álcool, exibição dos corpos em todos os horários e sem o menor pudor.


Vamos orar pelo nosso país. Que não seja mais conhecido pelo Carnaval, seu turismo sexual e seus índices de violência, mas sim pela transformação ocorrida através do poder de Deus. Pela renovação de mentes e corações que reconheçam que Jesus é Senhor e Salvador de suas vidas, se prostrem a Ele, o sirvam, e tenham suas vidas renovadas. Amém!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Sobre mentiras e verdades