Coisas de mãe


Tive que levar o Isaac pra fazer exame de sangue - que agonia! É uma daquelas coisas que você sabe que tem que fazer, então faz. Apesar de saber que dói, que ele vai chorar, que vai ficar com dó, mas que tem que fazer e pronto.
Ele é tão bonzinho que nem chorou da primeira agulhada, ficou foi rindo o tempo todo, lá, com a sonda no bracinho e rindo pra todo mundo - deu mais dó ainda. Quando foi tirar a agulha ele reclamou, deu um chorinho de leve. Mas o choro de verdade veio quando teve que furar no outro bracinho, pois precisava de mais sangue, e no outro tinha parado de sair. Que coisa medonha! Ele só de esticar o bracinho já chorava, tremia, soluçava, tentava esperniar... Uma loucura! E como tem os bracinhos roliços de tão gostoso, não foi possível encontrar a veia - tentou-se mais 2 vezes! E eu lá segurando ele, e ele chorando e gritando mamãe, eu quase chorando também de aflição e pena.
Não deu mesmo. Tivemos que deixar pra outro dia. Pirulito na mão fomos pro parquinho do laboratório, ele entreteu-se com o balancinho e só se calou lá. Tomou mamadeira, brincou, brincou... Mas só de olhar na direção do corredor que leva à sala de coleta ele já abria de novoo bocão, parecia lembrar de tudo, chorava como se estivesse furando de novo. Me abraçava e ficava chorando com muita força.
O Isaac é muito lindo e gostoso mesmo! Apesar das lágrimas e do medo ele não fica sentido, continua confiando em mim... Saímos de lá e por algumas horas, bastava olhar pros bracinhos e ver o curativo que fazia beicinho e carinha de dengo outra vez. E quando deixamos ele tirar ficou todo todo, como se entendesse que agora estava livre.
Pena ter que retornar depois, mas correrá tudo melhor e com a benção de Deus será mais tranquilo e menos doloroso para mim e, principalmente, pra ele.
Mãe padece muitas dores, não é mesmo? A gente ama tanto que sente mais que nossas crias as suas tristezas...
Mas somos recompensadas pelas descobertas deliciosas e únicas que nosso pequenos fazem - quando começam a engatinhar, a andar, a falar, quando passam a entender coisas novas, ufa! daria pra escrever uma enciclopédia inteira só com os detalhes de cada novidade! E como nós gostamos de curtí-las!
Amar os filhos é lindo e ver como eles nos amam tão intenso quanto!
O brilho nos olhinhos quando chegamos, quando acordam, quando querem beijinho, quando nos fazem carinho, quando fazemos massagens, quando brincamos, cantarolamos, dançamos ou simplesmente dormimos abraçadinhos no comecinho de uma tarde fria... E isso é só o começo - daqui a pouco reviverei emoções fortes e viverei outras tantas em dobro - pois meu novo herdeiro está prestes a chegar...
Louvado seja Deus pelo presente de ser mãe!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Sobre mentiras e verdades