sábado, 29 de março de 2008

Ser inteiro é que bom!


Estava ainda há pouco conversando com minha cunhada-irmã Franciely sobre o perdão, sobre não guardar mágoas e aceitar as pessoas como elas são: as pessoas são diferente e gostamos é daquelas que de alguma forma nos completam, e isso não significa serem perfeitas - porque perfeito só Deus é - mas o que torna nossos relacionamentos inteiros é a nossa capacidade de amar e respeitar apesar das falhas. Não precisamos mudar as pessoas para que elas sejam do jeito que a gente acha que seria bom, mas ajudar cada um a encontrar seu caminho, lidando bem com seu próximo, sem ressentimentos, sem feridas não cicatrizadas, sem meio termo. Bom mesmo é ser inteiro, ser verdadeiro, ter o coração sem reservas, aceitar mudanças e superar barreiras e decepções.

Isso nos faz maiores! De verdade!Chega de picuinha! De disse me disse! De não engulo fulano por issso e isso...

Engolir é uma decisão - se aceitar seja verdadeiro! Não finja gostar! Não finja perdoar! Seja inteiro! em tudo!

Pena que não dá pra ser assim com todo mundo: tem gente que acha que pra amar e respeitar tem que concordar com tudo, não ver defeitos e achar que o outro tem sempre razão.

Hipocrisia!

Falsidade!

Mentira!

Que pena para essas pessoas! Pois pra conviver harmoniosamente a gente até tapa os olhos delas pras coisas que nelas não gostamos. Fazemos de conta que não têm defeitos. Mas essas pessoas não descobrem o melhor de nós - que é o amor incondicional! Amor apesar de qualquer defeito, em qualquer circunstância. Elas só nos conhecem pela metade. Não ultrapassam o limite da superficialidade. E acabam sempre cheias de "pisando em ovos" com a gente também... Como é melhor nosso relacionamento com quem também é transparente!


Que pena! Tomara abram seus olhos logo e enxerguem que a perfeição reside em ser o que se é - sem reservas, nem culpa, nem medo...
Ser inteiro é que é bom!

Nenhum comentário: