quarta-feira, 30 de julho de 2008

Dúvida


Que fazer quando não se sabe o que?
Que dizer quando se teme o que pode ser?
Que pensar quando tudo parece embolado dentro da gente?
Como agir se tenho medo do que posso causar?
De que jeito explicar o que não se sabe direito?
Quando é o momento de dar vazão aos sentimentos dúbios?
Qual a forma de curar sem ferir?
Pra quê pensar tanto se isso não resolve?
Por quê adiar se é preciso?
Onde apontar quando o caminho é escuro?
O que sentir se por dentro tá tudo apertado e confuso?
Como explicar se nem a gente sabe direito?
Quais palavras usar?
Que tom de voz manter?
De que jeito me comportar?
Que hora?
Por que o que resolve dói mais que o problema?
Por que a gente sente mais dor quando causa dor no outro que quando o outro nos causa dor?
Por que esperamos do outro o mesmo cuidado que temos pelo outro?
Por que nem sempre o certo e bom faz bem?

Como?
Quando?
De que jeito?
Pra quê?
Que?
Onde?
Por que?
Por que?
Por que?

Dormir bem emagrece



Não se trata de nenhum método milagroso vendido por telefone ou produto anunciado na televisão nos moldes das propagandas americanas ­- aquelas do ligue já! -­ que você conecta ao corpo antes de deitar. É muito mais simples, acessível e gostoso do que isso. O sono está no mesmo patamar de importância da alimentação equilibrada e do nocaute ao sedentarismo, hábitos consagradíssimos para manter o ponteiro da balança estável. Isso quer dizer que dormir bem não só ajuda a emagrecer mas também garante melhor qualidade de vida. O assunto ganha a cada dia mais destaque entre os especialistas. Pudera: já há estudos que ligam a privação de sono a acidentes no trabalho e à baixa resistência ao stress e infecções, além de ter relação íntima com doenças como depressão, fibromialgia e, agora, com a obesidade. Dois estudos norte-americanos, da Universidade de Chicago e da Universidade de Columbia, apontaram a relação inversa entre um curto período de repouso e o aumento do índice de massa corporal (o tal do IMC). Uma pesquisa conduzida no Brasil pelo pneumologista Denis Martinez, fundador da Clínica do Sono, em Porto Alegre, confirma o resultado do estudo americano. “Quem dorme cinco horas ou menos por noite corre três vezes mais risco de se tornar, no futuro, obeso”, afirma.

mais fome, menos saciedade

Sabe o cortisol, aquele hormônio que marca território quando vivemos uma situação de stress? Então, uma de suas tarefas é estocar gordura no corpo. E as pesquisas já comprovaram há algum tempo que o cortisol age muito mais intensamente em pessoas que dormem pouco. Para se manter acordado durante a noite, nosso organismo passa por uma série de alterações. A explicação é simples: o corpo interpreta a vigília como se fosse uma ameaça — é o mesmo mecanismo desencadeado no homem primitivo quando tinha que enfrentar um perigo.

Mas os estudos foram um pouco além e outras duas substâncias entraram no jogo para explicar a conexão entre falta de sono e a balança. A ghrelina, hormônio sintetizado no estômago, é responsável por regular o gasto calórico — se usamos mais energia quando acordadas, ela aumenta e aciona o alarme da fome. Além disso, se dormimos pouco, há uma queda da leptina, um neuromodulador produzido pelas células de gordura, que controla a saciedade. O resultado você pode imaginar: mais fome e menos saciedade. “A pesquisa realizada pela Universidade de Chicago revelou que os participantes, ao passar apenas quatro horas dormindo, apresentaram níveis de ghrelina 27% mais altos e de leptina 18% mais baixos do que os outros voluntários que tiveram dez horas de sono”, ressalta Denis Martinez.

seu sono é sagrado

A recomendação geral é descansar de sete a oito horas por noite. Mas dormir menos que isso nem sempre implica um hábito pouco saudável, já que cada pessoa possui um biorritmo diferente. Dormir demais — entre 12 e 13 horas seguidas — também pode apontar algum distúrbio respiratório, como apnéia ou ronco, e, por isso, nem sempre deve ser encarado como atestado de saúde. Ter um sono reparador, em que você adormece sem dificuldade e acorda bem disposta, sem aquela sensação de cansaço, é o termômetro para saber se está na medida certa.

“O problema é a privação voluntária de sono. Na sociedade moderna, dormir fica sempre para depois do programa de TV preferido, da vida noturna agitada, do trabalho extra levado para casa, do acordar mais cedo para evitar o trânsito carregado...”, alerta Geraldo Rizzo, presidente da Sociedade de Neurofisiologia Clínica, de Porto Alegre. “Assim como se alimentar direito e fazer exercício são fatores fundamentais para a saúde, dormir bem deve ser uma prioridade se você se preocupa em viver cada vez melhor”, sugere o especialista. Recado mais do que perfeito para você se entregar aos lençóis.

valeriana para quem tem insônia

Essa erva já era popularmente conhecida como poderosa arma contra a ansiedade. Recentemente, a valeriana ganhou um estudo científico próprio para saber se ajuda mesmo quem tem problema para dormir. “Queríamos verificar se o princípio ativo da planta, o ácido valerênico, era eficaz para quem sofre de insônia leve e se trazia poucos efeitos colaterais”, explica Dalva Poyares, neurologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que coordenou a pesquisa, e professora pesquisadora do Instituto do Sono, em São Paulo. O resultado não podia ter sido melhor: dois comprimidos de 50 miligramas tomados de 40 minutos a 1 hora antes de deitar produz um ligeiro efeito sedativo e ansiolítico (sim, a ansiedade é a campeã em deixar as mulheres acordadas durante a noite). Você encontra o medicamento já manipulado nas farmácias, mas, antes, é sempre bom consultar um médico.

Fonte: Revista Boa Forma

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Profissões Diferentes


No Ministério do Trabalho estão registradas mais de duas mil profissões diferentes, algumas totalmente incomuns e inusitadas. Além da necessidade de fugir do desemprego, muitas pessoas aproveitam seu know-how e experiências pessoais para ampliarem a atuação no mercado. O que, em boa parte dos casos, seria um hobby pode virar uma profissão. É por isso que cada vez mais surgem alternativas bastante criativas para proporcionar aos consumidores o que os prestadores de serviços comuns não oferecem. Já imaginou ter um personal friend ou um personal ipodder? Se você nunca ouviu falar nisso, é bom prestar atenção às novas funções e profissionais que estão se formando. E eles garantem: cliente é o que não falta!

São vários serviços, exatamente aquelas coisinhas que qualquer marido poderia fazer e não faz, por não ter habilidade ou ferramentas

Mas os serviços personalizados que surgem não refletem apenas as necessidades de quem se propõe a oferecê-los - retratam, também, as atuais necessidades dos consumidores. Muita gente prefere pagar para não ter nenhum tipo de preocupação, ou mesmo para receber um tratamento individual e exclusivo. Ter um serviço diferenciado e inovador, que atenda aos desejos e facilite a vida dos clientes, tornou-se alvo de vários profissionais. Prova disso é a advogada e executiva Andrea Carvalho: "Eu, por ser uma executiva, não tinha tempo para pôr minhas coisas e assuntos particulares em ordem e sempre reclamava disso. Logo vi que eu não era a única com este problema", observa ela, que aliou a experiência adquirida e seu prazer em organizar para criar a Do It!, uma empresa de serviço de assessoria pessoal voltado àqueles que não têm tempo ou não querem se aborrecer com questões do cotidiano.

Estresse e preocupação zero

A Do It! atende a pessoas que precisam de dicas ou soluções práticas na hora de trocar, reformar ou decorar a casa, além de organizar e assessorar viagens para oferecer comodidade e tranqüilidade aos clientes. A idéia surgiu quando Andrea estava no processo de mudança entre um emprego e outro: "Tirei algumas semanas de férias e percebi quanta coisa estava pendente em minha vida. Sempre gostei de arrumar, tomar conta da casa, mas estava ocupada demais para isso. Pesquisei, vi que não havia nenhuma empresa que cuidasse de tudo que a Do It! faz, e decidi investir nisso. Estou há mais ou menos quatro meses só neste ramo e encontrei bastante receptividade dos executivos, principalmente", relata.

Hoje, Andrea trabalha gerindo diversos fornecedores, como arquitetos, empreiteiros, eletricistas, buffets, agências de viagem, entre outros. Os contatos e o know how que adquiriu durante os anos em que esteve à frente de grandes empresas foram suficientes para montar a rede de serviços. "Envolve muita gente, mas tudo tem o meu dedo, pois faço questão de que tudo esteja certinho. Para organizar uma viagem de carnaval completa, por exemplo, tive que lidar com agência de viagem, hotel, buffet, restaurante, translado e conseguir os lugares no Sambódromo com a Liga das Escolas de Samba. Eu vendo algo muito conceitual, que pretende garantir ao cliente aborrecimento zero", afirma Andrea.

Problemas em casa? Alugue um marido

Outro tipo de serviço fresquinho que promete acabar com as preocupações de muita gente atende pelo nome de marido de aluguel Mas é bom deixar claro o que este "marido" faz: trabalhos domésticos como reparos elétricos, instalações hidráulicas, troca de lâmpadas e dobradiças, regulagem de portas de armários, instalação de varais de teto, pinturas etc - além de motorista particular. "São vários serviços, exatamente aquelas coisinhas que qualquer marido poderia fazer e não faz, por não ter habilidade ou ferramentas", diz Valdir Peres, mais conhecido como "Billy", o marido de aluguel em pessoa. Tudo começou quando ele viu uma entrevista com um norte-americano que havia montado uma agência de "maridos", há quase 20 anos. "Na época eu estava bem, tinha uma transportadora com 43 funcionários; mas meu maior cliente faliu e me levou junto. Desde então passei a pensar melhor na idéia, e há três anos abri o negócio", conta.

Billy cobra R$ 60 por hora de atendimento e garante que o empreendimento vai de vento em popa, principalmente depois de aparecer em revistas e programas de TV. Mas, com a alcunha de "marido de aluguel", é claro que já surgiram episódios engraçados e constrangedores, de pessoas que confundem o anúncio e ligam para contratar outro tipo de "serviços"... "Cantadas de homens são várias. Aliás, fazem propostas muito boas, oferecendo até R$ 1.000 por uma noite. De mulheres são poucas, mas nunca aceitei. Não é essa a minha política. Acontece também de mulheres que querem ficar conversando após os trabalhos, a maioria senhoras com mais de 55 anos. Percebo que elas são muito carentes, até de papo", comenta Billy.

Mas aquele que tem como objetivo curar a carência de muitas tem outra denominação: personal friend. Isso mesmo. Na onda de profissionais que proporcionam uma alternativa de assistência e exclusividade à clientela, surgiu também o "amigo de aluguel", representado, por exemplo, pelo professor de dança Antonio Carlos da Silva Sá, ou Toni Sá , de 47 anos. Toni define o seu papel como "um acompanhante moderno, com muito respeito" - e, mais uma vez, sem qualquer conotação sexual. "Mulheres de várias idades buscam o serviço, sempre que precisam de um 'apoio' masculino para as mais diversas ocasiões", ressalta ele, que cobra em média R$ 50 por hora de companhia.

Tem gente que ganha um iPod, por exemplo, e não tem tempo, não está a fim ou não sabe mexer no aparelho. Aí a pessoa me liga e a gente bate um papo sobre os gostos dela. Geralmente me informam o gênero favorito e eu adiciono o que acho melhor daquele estilo musical

Toni, que já foi estudante de economia, DJ, promoter, comerciante, ator e até professor de português na Alemanha, hoje se divide entre a faculdade de ciências contábeis, aulas e apresentações de dança, sua grande paixão, e as saídas como personal friend. O serviço personalizado baseou-se na função de dançarino de aluguel, que Toni já exercia nos salões do Rio de Janeiro. "Minhas alunas pediam para ir a bailes e organizávamos grupos com dançarinos. Em alguns dias, a aluna contratante estava indisposta e trocávamos a saída de dança por um teatro, um jantar etc. E assim começou o personal friend. Hoje possuo um grande leque de trabalhos feitos, como ir a shoppings, teatros, cinemas, viagens, casamentos, aniversários, lançamento de livros, escolha de apartamento, compra de automóvel e caminhadas no calçadão da orla", descreve.

De acordo com ele, para ser um personal friend, é preciso reunir algumas características, como boa apresentação, educação, cultura, boa fluência verbal, bom humor e paciência. E isso é necessário até para se esquivar de possíveis armadilhas. "Desagradável foi uma exposição de quadros de uma pintora, onde notei que minha presença era para fazer ciúmes no ex-marido da minha contratante. Toda vez que ele passava, ela me abraçava. A situação foi ficando explosiva e uma amiga dela convenceu-a de ir embora. Menos mal", conta. Toni esclarece que, dos encontros, não raro nascem boas amizades, mas deixa de lado qualquer envolvimento mais íntimo. "Tentações existem, mas esse é meu ganha-pão. Quando surge uma mão na perna excessiva, tenho que sair delicadamente. Não posso nem ser rude, nem deixar que a coisa evolua. Não quero que as pessoas confundam minha proposta", confessa o personal friend, admitindo que um pequeno clima de sedução pode ser legal. Toni, que tem um filho de sete anos, também frisa que não atende a homens.

Organizador de músicas pessoal

Opções não faltam para quem quer um atendimento personalizado, seja para pôr a casa em ordem, resolver pepinos do dia-a-dia, sair acompanhada ou até mesmo organizar suas músicas. Pois é, diante de tantos avanços tecnológicos, não seriam remotas as chances de surgir um personal ipodder. A diretora de arte e DJ Cris Naumovs é uma que incorporou a função, que tem como objetivo reunir no tocador de MP3 do cliente as suas músicas preferidas. "Tem gente que ganha um iPod, por exemplo, e não tem tempo, não está a fim ou não sabe mexer no aparelho. Aí a pessoa me liga e a gente bate um papo sobre os gostos dela. Geralmente me informam o gênero favorito e eu adiciono o que acho melhor daquele estilo musical, ou então dizem para quê querem as músicas - para malhar, para receber os amigos etc", explica Cris, que já criou trilhas sonoras para restaurantes paulistanos badalados, como o Ritz. "Há clientes que me descobriram após irem ao restaurante e gostarem da música ambiente", revela.

Atualmente, Cris cobra R$ 1,50 por canção - o mesmo preço sugerido por alguns outros ipodders. Uma trilha completa, dependendo da memória do player, pode chegar a R$ 5 mil. "Não trabalho só com isso, é uma coisa que gosto de fazer. Às vezes estou muito atarefada, mas atendo em média três clientes por mês", diz ela. É. Definitivamente, trabalho é o que não falta para quem tem conhecimento, bagagem, feeling e muita, muita criatividade.


Fonte: Bolsa de Mulher

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Luta




"Tantas lutas tantas dores, no deserto eu pareço estar, mas entrego meus temores, sei que em Ti Deus posso confiar!"




Entreguei os pontos, não sei mais nada de mais nada, me sentia num buraco sem fim, mas não tentei segurar nada com minhas próprias mãos, me rendi a vontade de Deus - que é soberana! Se o pior acontecesse Ele nos sustentaria... Mas o Senhor está no controle e tem me surpreendido. Quando pensava que não tinha mais jeito e que estava tudo acabado Ele nos abençoou com um final de semana maravilhoso, que só não foi completo porque não fomos à Igreja.


Nesse momento minha prioridade deve ser o cuidado com meus pequenos, e isso é uma mistura incrivelmente prazerosa e penosa, pois ao mesmo tempo que é uma delícia cuidar deles, ver cada sorriso, participar de cada descoberta e sentir o quanto de nós eles têm, é também difícil e penoso abandonar nossos projetos pessoais, como o ministério de louvor, por exemplo, que tanto nos realiza, mas que não é possível conciliar, pois temos dois filhos bebês e não tem como constantemente deixá-los aos cuidados de pessoas da família para sair ministrando em igrejas diferentes, pois eles precisam sim estar perto dos pais.


Muitos não entendem, mas não dá pra eu ficar sempre em casa com eles enquanto o Heber ministra, e nem eu ir junto e tomar conta dos dois. Isso sem falar que nas opções eu estaria parada, longe da obra, acompanhando só de olhar, sem nada fazer. Eles merecem ter também o cuidado do pai - que na correria do dia-a-dia já é tão pouco. E eu preciso da ajuda do Heber e também quero estar na obra.


O que Deus mais quer de nós nesse momento é com certeza que cuidemos de nossos filhos - que são herança do Senhor. Agrada ao coração do Pai que sejamos pais presentes na vida de nossos filhos e encontremos outras formas de louvá-lo que não seja sair por aí, pode ser dentro da nossa igreja mesmo.


Não desejo ficar parada, e nem que o Heber pare - apenas que enquanto o Isaac e Samuel são tão pequenos e dependentes de nós, alguns pontos sejam redefinidos.



Esse deserto vai passar, nossas mazelas serão tratadas pelo Senhor, e sairemos fortalecidos conforme o Seu querer. Me rendo a Ti Deus e te peço sabedoria e força. Nos direciona Senhor e nos guia a águas mais tranquilas... Sou falha, falo sem pensar, digo coisas que machucam, meto os pés pelas mãos e me atrapalho toda. Não quero mais olhar atrás! Quero ser livre! Quero educar nossos filhos e fazer Sua obra segundo a Sua vontade, e não movida apenas por momentos. Traz Teu renovo pra tudo em nossas vidas. Precisamos de Ti, sozinhos erramos demais.


Te amo Heber

Te amo Isaac

Te amo Samuel

Te amo Senhor