Acordar



Quinze minutos para as seis horas e o quase ensurdecedor barulho do celular me desperta
O sono é maior que o incômodo daquela musiquinha repetitiva
Abro apenas umas fresta dos olhos e estico o braço para ativar a soneca
Enquanto repito esse ritual por três, estranhamente, longas vezes, penso no que me aguarda
Penso que é hora de arrumar as bolsas dos meninos
Lembro que hoje é sexta-feira e, portanto, casual day
Devo escolher uma roupa diferente do rotineiro uniforme cor de beringela
Repasso quais frutas e lanchinhos mandar para os meninos
Qual roupa colocar neles e como os embrulhar pra sair logo
Sem perda de tempo pra não posso me atrasar
Em uma dessas frestas de olho vejo que o dia lá fora ainda nem clareou
Está chovendo de leve e fazendo um friozinho gostoso
Bem mais gostoso se pudesse ser curtido no aconchego do lar
Sem me preocupar com as rajadas de vento em meus pequenos
Tomando um chocolate quente sob as cobertas
Ou apenas embrulhada em um moleton macio me aninhar entre os três homens da minha vida
Mas quando toca pela terceira vez a musiquinha repetitiva já estou em cima da hora
Não dá mais pra ficar devaneando e preciso agir
É hora de começar o dia: muita coisa que fazer e tenho pouco tempo
Um dia, talvez e quem sabe, poderei escolher
Ficar em casa em dias frios e tão convidativos pra uma preguicinha
Mas enquanto esse dia não chega: acorda menina!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Sobre mentiras e verdades