quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Dubiamente




Nada é totalmente ruim ou complemente bom
Por que será que as coisas que a gente mais gosta
São também as que a gente mais detesta?
Que linha é essa que divide nossos sentimentos
Que rasga ao meio nossos corações?
Que faz tão distantes nossa razão e nosso desejo?

Quero, amo e preciso trabalhar
Mas não quero, não amo e preciso deixar meus filhotes
Quanta falta farão!
Quanta falta sentirão!
Quanto tempo vai durar?
Quanto tempo vou aguentar?

Me sinto livre no trabalho pois lá faço o que gosto e sou realizada
E isso me dá um up!
Me sinto maternalmente feliz em cuidar dos meus pequenos o dia inteiro
E vou sentir falta!
Sou meio escrava de trabalhar muito, o dia inteiro
Mas também sou muito presa ficando o dia todo em casa
Gosto de estar fora de casa, mas amo estar dentro também
Gosto de trabalhar, mas não queria ter que os deixar

Que fazer? Que caminho trilhar?
Um idéia! Por caridade, uma idéia!
Que não me tire a alegria de estar com minhas crias
E que também não me tire o prazer de produzir e fazer acontecer
Preciso de espaço e de tempo, mas quero dar colo e carinhos receber
Fazer mimos e todas as coisas novas ver descobrir e aprender

Quero de tudo tudo!
Quero muito da vida de mãe e também muito de profissional
Quero muito de mim e de todos
Tem momentos que quero nada de ninguém
Só minhas idéias e minha respiração num canto pra me reorganizar
E então sentir falta de todo o resto

Dubiamente existo e sinto
Dubiamente caminho
Estou quase a ponto de explodir
E o sono tá no meu olhar mas não chega
A adrenalina e as incertezas não permitem
Dubiamente sigo e sou

Nenhum comentário: