9 passos para fechar o bolso

O resultado de comprar por impulso quase sempre é poupança vazia e armário atulhado de peças sem uso. Saiba como evitar esse desperdício

Por Danielle Sanches


1. Faça um orçamento.
Para Angela Barros, coordenadora do programa Mulheres em Ação, da Bovespa, ele deve servir como um guia, indicando quanto se gasta por mês e no que é possível economizar.
2.
Anote o destino do dinheiro. Só esse ato já ajuda a controlar os pequenos gastos do dia-a-dia, que, somados, são um ralo para o salário.
3.
Esqueça o cartão de crédito e o talão de cheques em casa. 'Pesquisas afirmam que ver o dinheiro vivo indo embora dói mais do que passar um cartão de plástico ou assinar uma folha de papel', diz a psicanalista Vera Rita de Mello Ferreira, representante no Brasil da Iarep - International Association for Research in Economic Psychology.
4.
Tenha um objetivo. Segundo o consultor financeiro Gustavo Cerbasi, fazer uma lista de sonhos - sejam eles grandes, sejam pequeninos - auxilia a manter o foco naquilo que realmente importa, além de ser uma boa motivação para economizar.
5.
Não vá ao shopping deprimida. Sabe aquela história de afogar as mágoas com uma bolsa nova? Apague da sua cabeça. Comprar para aliviar a tristeza é uma fórmula certeira para gastar sem critério.
6.
Espere pela temporada de liquidações. Essa é uma ótima época para encher o guarda-roupa com peças-chave. 'Mas compre apenas se tiver dinheiro, sem entrar em dívidas', diz Sandra Blanco, consultora de investimentos e autora do livro Mulher Inteligente Valoriza o Dinheiro, Pensa no Futuro e Investe (Editora Qualitymark).
7.
Lembre que limite de crédito não é salário. Muita gente age como se o dinheiro do cheque especial e do cartão de crédito fosse um bônus. Nada disso. É empréstimo, ou seja, dívida.
8.
Não radicalize. Se você tentar reprimir totalmente o impulso consumista, é bem provável que exagere na primeira oportunidade que tiver. Permita-se usufruir o que batalhou para ganhar.
9.
Engane-se. Lojas e shoppings são ambientes de sedução que levam a comprar de tudo. A solução é lançar mão de alguns artifícios para não cair em perdição: contar até dez, dar uma volta em outro lugar... Ou telefonar para uma amiga. 'Descreva para ela seu objeto de desejo', diz a educadora financeira Cássia D'Aquino. 'Ao terminar a conversa, seu impulso consumista estará sob controle.'

Fonte: Revista Criativa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corte do cabelo da Priscila Fantin passo-a-passo

Ain't Got No / I Got Life

Sobre mentiras e verdades