sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Dicas de segurança

Para crianças entre zero e 3 anos, atenção com brinquedos deve ser maior.
Pais devem estar atentos a tamanho dos objetos e pontas perfurantes.

Do G1, em São Paulo

Por faixa etária

A escolha de presentes para o Dia das Crianças deve levar em consideração aspectos que vão além do gosto dos baixinhos. Atentar para a segurança dos brinquedos é fundamental para garantir o divertimento sem dores de cabeça para as crianças e para os pais.

De acordo com Thaís Gava, coordenadora do programa Criança Segura na Escola da ONG Criança Segura, na hora de escolher um brinquedo é importante verificar se o produto possui a certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). "Quem vai comprar o presente precisa levar em conta também a faixa etária para a qual o brinquedo é destinado, porque a supervisão será determinante para garantir a segurança das crianças durante as brincadeiras", diz Thaís ao G1.

Antes de ser autorizado para venda com o selo do Inmetro, o brinquedo passa por, pelo menos, seis testes. "É verificada a resistência do brinquedo a impactos e quedas e ele só é autorizado caso, ao quebrar, não forme pontas cortantes ou perfurantes. Além disso, ele não pode soltar peças pequenas se for mordido ou puxado por uma criança, deve ser pintado com tintas que não sejam tóxicas, não pode ser inflamável e, se emitir algum som, o ruído não pode ultrapassar 80 decibéis", afirma Marcelo Monteiro, gerente de fiscalização e verificação da conformidade do Inmetro.

Segundo Monteiro, a única restrição obrigatória que deve estar na embalagem dos produtos diz respeito a crianças entre zero e 3 anos. "Brinquedos para crianças nessa faixa etária não podem, em hipótese alguma, conter peças pequenas que podem se soltar e serem engolidas, nem pontas cortantes", diz o especialista.

Outra dica de Monteiro é comprar brinquedos apenas em lojas regulares e evitar vendedores ambulantes, que não podem ser fiscalizados pelo Inmetro. "Vale ressaltar também que todos os brinquedos devem ter manual de instruções em português e que os pais, na hora de comprar, devem observar cautelosamente se ele está em bom estado de conservação, além do selo de certificação", afirma.

Para saber qual o tamanho adequado de brinquedo para crianças de 0 a 3 anos, a pediatra Gisele Limongeli Gurgueira, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), orienta comparar as partes menores do brinquedo a uma caixa de filme fotográfico. "Caso o objeto caiba nessa caixinha, ele tem grandes chances de ser engolido pelas crianças pequenas e deve ser evitado", diz.

E a atenção não termina depois da escolha do presente. Na hora de entregar o brinquedo, os pais devem retirar de perto da criança embalagens plásticas, que podem sufocar.

Brinquedos como cordas ou que contenham fios, como ioiôs, por exemplo, só devem ser dados para crianças acima de 4 ou 5 anos. Antes disso, barbantes podem representar um grande perigo. Já brinquedos que tenham pontas, como dardos ou flechas não são indicados em nenhuma idade. "A criança só começa a ter noção do perigo que esses brinquedos representam para ela e para outras crianças a partir dos 10 anos, então os pais têm que tomar cuidado", afirma Gisele.

Para quem pretende presentear com bicicletas, patins ou skates, o alerta é para oferecer também o material de segurança necessário para a brincadeira. "Temos que lembrar que esses brinquedos são veículos e o cuidado maior deve ser com o local em que a criança vai brincar. Não há uma idade certa ou mínima, mas o produto deve estar adequado ao tamanho e faixa etária da criança e os pais devem ensinar como e onde brincar de forma segura", diz.

Entre os especialistas consultados pelo G1, a preferência é unânime: opte por brinquedos educativos, voltados especificamente à faixa etária da criança, e que não estimulem a violência.

Nenhum comentário: