terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Veja Blog

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

Acabo de receber e-mail e comentário dizendo que estou no Veja Blog. Olha que luxo!Que chique! Que fofo! Que demais! Estou abobada e sem palavras certas pra dizer... Obrigada a todos!

sábado, 24 de janeiro de 2009

Seja Feliz!


Escrevi esse texto pra participar da promoção da Paper Teen, mas gostei tanto que resolvi publicar aqui e no Aconselhamentos. Quem gostar, podia passar lá no site deles e votar em mim.


Não despreze o valor do tempo presente, pois é a sua única certeza. O que virá depois, pode não chegar pra você, então, seja feliz, ame hoje, perdoe agora, seja educado e solidário nesse minuto. Não adie dizer a seus filhos, a seus pais e a seus amigos o quanto você os ama, não espere que a pessoa que você ama te diga o quanto você é importante - diga você o quanto ela faz a diferença na sua vida.
Manias feias? Falta de educação? Mágoas e rancores? Falta de fé? Falta de compaixão? Risque essas e todas as outras coisas que te acrescentam dor do seu cotidiano. Não viva nada só porque acha que vale a pena - e sim porque vale o prazer de as viver. Apague de sua lembrança tudo o que te faz sofrer ou se lamentar, olhe pra hoje - recordar só é viver quando as memórias te deixam com saudades e te enchem de orgulho.
Viva tudo o que vier de peito aberto, sorriso largo, olhar cintilante - nada de ser meio isso ou meio aquilo: seja inteiro! Fale dos seus sentimentos com clareza!
Críticas? Jogue fora as destrutivas e use a audição seletiva - só escute o que vai te acrescentar algo bom e te fazer uma pessoa melhor, mais inteligente e criativa.
Não se irrite por tudo, mas não fique engolindo sapos: se doeu, diga, discuta, resolva, sare, pois quem fica fingindo que tá tudo bem quando não está, cria raízes de amargura profundas demais, que são difíceis de arrancar e tornam a vida triste, vazia, sem razões pra sorrir e com tantas ervas daninhas, que o sujeito só sabe reclamar e atacar pra todo lado, por medo de ser atacado novamente.
Não se envergonhe do que você não sabe - feio é fingir que sabe tudo e continuar na ignorância. Peça ajuda e ajude também. Compartilhar é uma dádiva e quem compartilha recebe da vida muito mais do que dá aos outros. Não tem nada pra dar? Você é que pensa: tem sempre alguém que teria a vida mudada se recebesse apenas um sorriso seu. Seja grato por tudo o que você tem e é - para de pensar que só é importante aquilo que ainda não conquistou, valorize mais suas conquistas que as derrotas, erros só servem pra tirar lições e aprender mais, não é pra ficar remoendo e se achando a pior de todas as criaturas.
Seja como criança: não fique colocando maldade em tudo, nem dissimule, nem minta. Não precisa dizer todas as verdades que vão ferir de uma só vez, exercite a arte de ser verdadeiro sem ser mau, sendo amigo de verdade: daqueles que sabem que não é bajulação gratuita que vai ajudar o outro, e sim a sinceridade nas opiniões e na torcida. Seja leal em todas as situações: se é pra rir e festejar ou se é pra chorar e consolar. Não tenha duas caras, por favor!
Tá achando impossível viver assim? Não é não: basta você crer em Deus e se entregar a Jesus, buscar n´Ele abrigo, ter d´Ele direção e exemplo. Você só tem hoje pra fazer isso: não adie!
Aprenda a amar as coisas simples da vida, como o pôr-do-sol, as beleza das flores, as brincadeiras com seu filho: são de graça! E nelas reside a verdadeira felicidade.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Gostei dessa!

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim.

Nem que eu faça a falta que elas me fazem.

O importante pra mim é saber que eu em algúm momento fui insubstituível.

E que esse momento será inesquecível.



Mario Quintana

Condicionador Turma da Mônica retirado das prateleiras


Gente, acho que essa informação merece ser espalhada aos quatro ventos, pois eu já usei esse condicionador em meus pimpolhos - não desse lote, ainda bem - gostei muito dele, pois é do tipo bbb - bom, bonito e barato e, pretendia comprar mais. Mas com tantas advertências da Secretaria de Saúde sobre alterações nas fórmulas, resolvi não arriscar mais. Pelo menos não em produtos pros babys, que já são tão sensíveis por natureza.
Taí a matéria que saiu na Crescer.
"Mais uma produto da linha Turma da Mônica foi recolhido do mercado. Em nota divulgada nesta quarta-feira, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo comunicou a interdição e o recolhimento de cerca de 10 mil unidades do condicionador infantil da linha, produzida pela Lipson Cosméticos, referentes ao lote de número 8057, com data de vencimento em fevereiro do próximo ano.
De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria, a medida é de caráter preventivo e entra em vigor pela constatação de um desvio de qualidade do produto. De acordo com informações publicadas pelo Centro de Vigilância Sanitária, a fórmula do produto que está registrada com valores de referência de pH entre 5,5 e 6,5 apresentou pH médio de 5,25. Vale lembrar que quanto menor o pH, mais ácida a solução.
A Lipson Cosméticos, fabricante do produto que nesta mesma semana foi notificada da interdição do Talco Cremoso da Turma da Mônica, deverá providenciar o recolhimento de todas as unidades do condicionador.
Em informativo enviado à imprensa a Kimberly-Clark Brasil, detentora dos direitos de comercialização dos produtos infantis da linha Turma da Mônica, afirma que a diferença apurada em ambos os lotes é mínima e que não representa risco algum para a saúde dos consumidores.
Aos que já tiverem comprado qualquer um dos produtos interditados, a empresa informa que não fará nenhuma espécie de troca ou devolução do dinheiro. “Ressaltamos que não há necessidade de recall envolvendo os consumidores, tanto pela qualidade dos produtos que não oferecem qualquer risco à saúde, quanto pela legislação vigente que não o determina em tal hipótese”, encerra."

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Sobre a oração


Ouvi ontem uma frase do Pr. Olgávaro que mexeu comigo, não me lembro exatamente das palavras, mas dizia que quando oramos, não é vontade de Deus que muda, e sim nós que mudamos por dentro, passando a aceitar Sua soberana vontade. Lindo, né?

Afinal, Deus é imutável e sua vontade é boa, perfeita e agradável.

Nós é que temos dificuldade pra ver com clareza a direção que Ele nos dá e, muito independentes que acreditamos ser, sempre achamos que sabemos de tudo, que do nosso jeito as coisas ficam perfeitas. Não são poucas as frustrações quando nos colocamos fora da vontade de Deus.

Quando nos entregamos a Deus em oração, Ele nos envolve com Seu amor e nos dá sabedoria. Assim, entendemos Seus projetos, passamos a escutar Sua voz e a viver plenamente um relacionamento feliz entre Pai e filho, como Deus deseja e para o qual fomos criados.

Não deixe de buscar seus objetivos, mas principalmente, não deixe de, em oração, contá-los pra Deus e pedir sua aprovação, sua direção e ajuda na caminhada. Tenha momentos longos se derramando aos pés do Senhor, abrindo Seu coração e reconhecendo o quanto você precisa e quer estar ligado a Ele.

Sua vida vai mudar! E pra muito muito melhor.

Mania de fast-food


Recebi esse texto por e-mail, e me serviu pra refletir sobre muitas coisas nas quais não buscamos mais essência, nas quais mudamos a forma pra agradar a maior quantidade de pessoas possível, e consequentemente, perde-se o sentido, a direção, torna-se vazio, sem o principal, que é transformar as vidas de quem faz e quem as recebe.

Como tem sido seu relacionamento com Deus?
Tem seguido a mesma temática MCtudo? Tem sido fast-food?
Em meio a tantas informações recebidas dia-a-dia, você tem meditado no que realmente te edifica e te faz tornar-se melhor?

Reflitam também.


"A moda da comida rápida e pronta veio para ficar. As lanchonetes, os “por quilo”, os rodízios de massa e de carne se espalham por toda a parte atendendo uma clientela cada vez maior e cada vez com menos tempo para esperar por um prato “a la carte”. O ritual do comer, que envolvia um tempo de relaxamento, de descanso ao sentar e esperar pela comida, cedeu lugar à pressa, o sentar-se cedeu ao comer em pé, andando ou dirigindo. É o sinal dos tempos. Vida moderna caracterizada pela azia, gastrite e úlceras do comer atabalhoado.

Outro problema dos tempos modernos é a massificação dos temperos e sabores. Há multinacionais fazendo comida para ser esquentada por cozinheiros e chefs, com molho pronto e sabor igual para todos. O toque pessoal, a criatividade, o tempero, o paladar refinado, vai cedendo espaço para os paladares acostumados ao “pret-a-porter” da comida. Muda-se de restaurante, muda-se o nome do prato, mas o sabor é o mesmo em toda parte. Cada vez fica mais difícil a individualidade, o gosto pessoal. Alfaiates, costureiras, cozinheiros, doceiros, sapateiros, são profissões que estão a se extinguir pela inércia geriátrica. Morrem os velhos e não há gente nova para substituí-los.

Este tipo de comportamento massivo e massificante também tem chegado às igrejas. Tenho estado em contato com muitas igrejas em função de convites para pregar e dar palestras. Nos últimos tempos, por ter tido folga nos finais de semana, estive visitando várias igrejas de Campinas. Há em todas elas uma incrível similaridade na forma de conduzir a liturgia e em apresentar suas mensagens. Para quem se acostumou a liturgias bem feitas, estruturadas, com forte base teológica e unidade, ir a um culto pret-a-porter é algo nada edificante. Houve um empobrecimento das liturgias.

Aquilo que se construiu ao longo da história da igreja, os hinos, as litânias, as doxologias, as leituras responsais, cederam espaço a três momentos bem marcados: o louvor, os anúncios e a mensagem. O período de louvor é o tempo do barulho, da excitação, da empolgação. Há uma abundância de letras de adoração, mas faltam os cânticos dedicados ao arrependimento, à confissão, à consagração, à instrução. A moderna corinhologia tem se caracterizado pela abundância de cânticos que repetem jargões, lugares comuns e carecem de reflexão teológica.

Um estudo que serviu de tese de mestrado de um colega, mostrou que o hinário de uma das maiores igrejas evangélicas de Campinas não cobria a temática teológica existente no Credo Apostólico, mas havia profusão de cânticos de vitória e de adoração e muitos deles contrariavam a teologia pregada pela sua denominação.

As pregações são algo de se lamentar. Talvez tenha sido a coisa que mais empobreceu. Os sermões expositivos cederam lugar aos temáticos, onde é mais fácil o pregador dizer o que quer. E não são poucos os púlpitos onde se usa o texto por pretexto e não se tem sermão, mas arenga. O estudo cedeu lugar ao testemunho, a reflexão à empolgação, a instrução à confusão, a edificação à quantificação. A igreja é hoje avaliada pela sua platéia e não pela fidelidade a Deus e à Palavra.

Temos McCultos. Tudo pronto, embrulhado, ao gosto do freguês, digo, fiel. E fidelidade dos membros se mede pelas ofertas que faz. O McCulto é tanto mais abençoado quanto maior for o faturamento do dia."

Por Marcos Inhauser
Fonte:
http://www.thiagomendanha.blogspot.com/

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A vida acontece hoje


Não sou, nunca fui, nem pretendo ser exemplo de vida ser imitado por ninguém. Pois acredito que cada um é cada um, e tenho meus altos e baixos, às vezes meto os pés pelas mãos e sinto o amargo gosto das consequências de muitos erros pela vida afora. Aprendi tanta coisa nesses meus 28 anos! Mas ainda não sei nada da vida, continuo aprendendo com minhas próprias experiências e crescendo dia após dia, movida pela sede de querer saber sempre mais, me analisando, buscando me entender e a tudo o que me cerca. Fico filosofando, sem maiores pretensões, sigo pela vida pensando muito nela, mas não deixo de viver por estar pensando.

"Penso, logo existo". E como penso! E como faço meu existir!

Não nasci ontem, e sei que se vivesse movida apenas pela razão, ou ao menos me levasse mais por ela que por minhas emoções, talvez tivesse mais coisas.

Mas o que são coisas sem o prazer de viver?

Mas o que são projetos se o tempo nos escorre pelas mãos com tanta rapidez e, quando, enfim, passadas décadas de privações, os concluímos, nos lembramos de que nem temos mais saúde ou energia pra deles desfrutar? Ou até perdemos o porque de ter tal projeto, se o que passa a ser importante não é o fim, e sim o ter sempre um motivo, um plano?

Me arrependo por meu jeito intenso e apaixonado de viver o presente - mas só por alguns segundos.

Não suportaria passar a vida toda esperando comprar todas as coisas grandes, pra então, viver as pequenas. Pois são nas pequenas coisas e nos momentos que muitos desprezam que residem minhas maiores alegrias.

E as lembranças? Tenho muitas tão felizes de momentos que custaram tão pouco...

Se você pensar bem e calcular na ponta do lápis, a soma desses pequenos investimentos me daria uma bela quantia, capaz de adquirir coisas grandiosas.

Mas e as pequenas? E todas essas histórias que carrego comigo?

Não existiriam e seriam todas reduzidas a umas poucas?

Não quero! Não quero deixar de ser como sou. Não quero ficar fazendo planos e vivendo de sonhos grandes enquanto a vida passa. Claro que tenho planos grandes, mas não vou abandonar os pequenos de jeito nenhum, porque são esses que me dão força pra conquistar os grandes. A tempo pra tudo! Já dizia o Rei Salomão.

Viajo quando dá, me alimento bem, sim, me visto com o que tenho vontade, me divirto e ninguém tem nada com isso! Só porque escolhem viver de coisas "maiores" desdenham minhas alegrias e coragem de viver o agora. Se privam de tantas coisas que nem as sabem aproveitar mesmo quando é outro que paga a conta. São tão preocupados com centavos a mais ou a menos que se esquecem que a coisa mais valiosa na vida é a família, que a infância passa, a saúde se acaba, que a traça e a ferrugem corroem tudo que o dinheiro pode comprar, menos os momentos felizes como os que passamos juntos, sem brigas, sem insinuações de quinta, sem inveja, sem gente se fazendo de coitadinha, sem ficar fazendo conta de quanto foi o presente do filho e sem ficar me perguntando quanto custou tudo que me cerca.

Quisera eu, que ao menos se alegrassem com a minha alegria e me julgassem menos. Já que pra eles alegria é conquistar coisas.

Por que é que quando a gente tá numa pior sempre encontra alguém disposto a ajudar e a nos escutar, mas quando estamos bem, raras são as pessoas capazes de comemorar conosco e de ficarem felizes com a nossa conquista?

Escutei uma vez que, amigo não é o que está do seu lado na derrota, mas o que é capaz de comemorar com você suas vitórias. E é mesmo!

A maioria das pessoas gosta de ver o outro na pior, até oferece ajuda, se compadece, porque gosta de ver - e mostrar - que está melhor que o o pobre coitado. Mas quando é o outro que está numa boa não é capaz de ficar alegre junto, não comemora junto, não o parabeniza, faz é comentários do tipo: "Você tá podendo, hein?", "Quem sou eu?" carregados de desdém, de vontade de estar no seu lugar, de ambição, de inveja podre, mesmo!

E a gente se sente tão mal. Puxa vida!

A gente gosta de comemorar as conquistas: a promoção no trabalho, o relacionamento que vai bem ou simplesmente o prêmio que ganhou no sorteio, e a gente pensa que o outro vai ficar contente pela gente, que as pessoas que tanto amamos vão ficar felizes e que vão comemorar conosco. Mas que nada, nessa hora a gente descobre que tem muito poucos amigos de verdade, e que pra nossa surpresa, até os da nossa família se revelam egoístas, tão mais interessados em suas próprias vidas e que são capazes de dizer horrores pra tentar diminuir a nossa alegria.

Frustrante, ?

Preciso pensar e sentir, como na música do Jota Quest:

"Quer saber, já foi, vou cuidar de mim, quer saber eu quero alguém pra dividir, gostar de quem gosta de mim."

Mas a gente não sabe identificar isso assim, de cara, então quando descobrimos já é tarde, e em muitos casos, nos resta continuar gostando e torcendo pra que algum dia o fulano ou a fulana também gostem da gente. Aliás, talvez até gostem de verdade da gente, mas de uma forma diferente do que eu gosto. Porque eu comemoro junto, peço a Deus pra fazer a pessoa se dar bem em tudo, fico louca pra saber das novidades pra dar os parabéns, pra festejar, sabe. Aprendi a ser assim, gostar das pessoas, apesar de todas as falhas que elas tem para comigo, apesar de todas as decepções, o que não me impede de acreditar que um dia terei mais amizades verdadeiras.

Tem uma vantagem em você não se guiar muito pelo sentimento dos outros e sim pelos que você carrega em si: da mesma forma como gosto independente do outro, também não me firo por causa do outro. Mas não cheguei plenamente nesse ponto, ainda!

sábado, 10 de janeiro de 2009

Férias


Estou passando uns dias longe de casa, curtindo o mar, meu irmão, minha cunhada e sobrinha, tão queridos e que agora moram longe longe.
Então, aparecer por aqui não é fácil, mas lembro aos que me acompanham, que em breve estarei de volta, e com muitos posts, pois minha cabeça fervilha de coisas a compartilhar com vocês.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Ano novo - Parte 2


2008 não foi o melhor ano da minha vida, mas foi um dos mais marcantes, sem dúvida!


Quanto aos acontecimentos da virada que postei ficaram lá no passado. A parte boa foi estar na presença de Deus e rever amigos e parentes no churrasco que fomos depois do culto, na casa da Tia Rosângela. Estavam lá a Tia Rô, a Bruna, a Branca, a Bia, a Preta, a Manu, a Tia Odília, a Tia Maria, a Marta, o Juninho, o Hélio, o Guinho, o Tio Antônio, o Tio Moisés e muitos outros, além das crianças, é claro. Não ficamos muito tempo, porque os meninos estavam dormindo e pesando nossos braços, mas foi muito bom!


E no dia 1º meu pai, tão avesso à comemorações, mas que graças a Deus tem mostrado algumas mudanças, surpreendeu: deu um churrasco também. E tava quase ótimo, só faltou a presença do meu irmão que mora no Rio, da Franciely e da minha sobrinha mais linda do mundo, a Nananda - uma pena - mas virtualmente eles estavam presentes, nos falamos um monte pelo MSN.


Um presente de Deus existir formas de amenizar a saudade e nos manter sempre em contato, né? Imagina se fosse há alguns séculos atrás: ficar esperando carta pelo correio, que devia ir de cavalo... Nem quero imaginar como a saudade e a ausência seriam ainda maiores e mais difíceis de aplacar.


Por falar em saudade, a morte da Cleide mudou muitos planos, e deixa muitas coisas fora do lugar. Sem falar que marca o 1º dia do ano de uma forma muito triste. Ela deixou 4 filhas lindas, de forma brusca e inesperada, numa data que normalmente é comemorada e na qual a família se junta. Peço a Deus que continue cuidando dessas meninas, as confortando e dando direção, pois não deve ser fácil viver sem pai e agora sem mãe.


Hoje teriámos almoço aqui em casa pro Adilson, a Juliana e a Ana Júlia. Mas a Juliana não deve mesmo estar com cabeça, disposição e muito menos clima pra confraternizar nada, vamos remarcar para em breve, e torcer pra que em seu coração cesse a dor e fique apenas a saudade de sua tão querida mãe.


Falando em mortes bruscas quero lembrar que jamais devemos deixar pra amanhã o que podemos fazer hoje. Não sabemos do futuro, o que temos o agora, e temos de aproveitar ao máximo pra ser e fazer feliz quem amamos. Não hesite em se expressar com clareza, em declarar seu amor, em perdoar os fracassos e desapontamentos, inclusive de se perdoar pelas mancadas, pois é um presente estar vivo, é uma dádiva de Deus fazer parte da vida de outras pessoas. Seja intenso, inteiro, não se limite, não adie realizar o que puder hoje, pois você não sabe o que será de você, nem do outro, na próxima hora.


Se você não conhece Jesus, ou se o conhece mas não se importa com Ele, reveja seus conceitos, se aproxime ou se reaproxime d´Ele. Não adie endireitar sua caminhada, não adie pedir perdão, não adie fazer o bem. Talvez você não tenha outra oportunidade. Pense nisso!



Ouvia falar no Teu nome, mas demorei pra perceber
Que você não é aquele papo careta de religião
Estava anestesiado, adormecido em meus preconceitos
Escondido e armado, contra tudo e todos
Mas o Teu olhar brilhou mais que o sol
Esse calor me encheu de vida
Teu amor se derramou como um perfume
E o meu passado pesado e carregado de pecados

Você apagou, Você me aceitou, me perdoou
Amor que eu não consigo entender
Me deu uma novas história
Um novo modo de ver e de viver a vida
Olhar as pessoas e o mundo sob um novo prisma
Quanta coisa que eu perdi sem Te conhecer
A gente achava que sabia tudo
Mas na verdade a gente não sabe nada
Mas o Teu olhar brilhou mais que o sol
Esse calor me encheu de vida
Teu amor se derramou como um perfume
E o meu passado pesado e carregado de pecados
Você apagou, Você me aceitou, me perdoou
Amor que eu não consigo entender
Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram
Nem jamais penetrou em coração humano
O que Deus tem preparado
Pr'aqueles que o amam



O Amor de Deus (Fruto Sagrado)