quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Preciso Entender


Quando a gente pensa demais desperdiça tempo de viver e vive de menos

Quando a gente espera muito de alguém mais se frustra com o pouco ou quase nada que vem

Preciso entender, Senhor, por que é que existe tanto egoísmo e falsidade

Sou eu também assim? Vivo eu também a buscar apenas meus interesses?

Preciso entender, por que é que se paga tão pouco a quem recebe, se quem paga sempre reclama

Como é que pode o mundo todo reclamar tanto de tanta coisa

Que nem se compara ao que realmente é digno de reclamação

Existe fome, violência, destrato, descaso, maltrato, desamor

Existe distância, tristeza, sorriso amarelo, sorriso forçado

Existe falsa ajuda, daquelas que servem mais a quem tá ajudando se promover

Existe falso amor, tem gente que acha que ama, mas não sabe amar

Tem gente que acha que é amado, mas não sabe como o é ser

Tem gente que realmente ama, mas não se ama nem se aceita o suficiente pra demonstrar amor

Tem gente que é ando e nem sabe porque de onde esperar amor não o vê

Ando pensando em como mudar o mundo, mas vejo tanta coisa fora do lugar

Tanta coisa que passa a léguas do propósito de Deus quando criou esse mundo

Que penso que, se fosse eu o Criador, já teria mandado fogo em tudo

Pois isso aqui tá pior que Somoda e Gomorra.

Pai contra filho, filho contra pai, sexos indefinidos, vulgaridade aplaudida por toda parte

Quem mais deveria cuidar é quem mais maltrata, todos querem ser mais e ter mais

Ser mais o que? Ter mais o que? Depende de qual mídia guia o sujeito

Quem deveria ser o porto seguro é a sangessuga certa, a família perdeu seus atributos e valores

Os patrões se apoiam em crises muito bem divulgadas pra cortar gastos e promover mais crise

De quem é a culpa? Onde é que isso vai acabar?

Preciso entender, e não aceitar, pois a cada esquina vejo mais destruição e exploração

Preciso saber o que fazer e se tem algo a ser feito pra que a vida seja menos dolorosa

Não só a minha, entendam, a minha, pela média, está boa até demais

Mas até quando? Se o perigo e assombrosos fatos rondam nossos portões, olhos e mentes?
Até quando ainda terei prazer em admirar uma linda flor, se o que mais vejo são espinhos?
Até quando? Preciso entender! Saber! Fazer! Mudar! E é já!

Nenhum comentário: