terça-feira, 11 de agosto de 2009

Qual o seu preço?

 

Responda com sinceridade: Qual o seu preço?

Pensou logo e em alto som: "Não tenho preço!"

Pois se engana e pensa que aos outros também

Todo mundo no mundo tem um valor

Mesmo o mais correto e honesto, seja homem ou mulher, jovem ou velho

Pode ser que o que tenham te oferecido até agora não o convenceu

Nunca diga que dessa ou daquela água não bebe, pense bem:

Se te oferecessem 1 bilhão dólares, livre de impostos

Suas respostas não mudariam e sua intolerância a corrupção e nepotismo a se manteria?

A intensidade da sua oposição ao tráfico de drogas e a pornografia seria a mesma?

Eu sempre digo que não tenho um preço, que meu preço já foi pago pelo sangue de Cristo

Que tenho minha moral e costumes inabaláveis, que apesar de ter a mente aberta, jamais faria isso ou aquilo

Mas quando me coloco no lugar dos que se unem em quadrilhas, aceitam subornos ou altos cachês pra se despirem

Tento olhar pelo ângulo que vêem as situações, ver as opções que teem e frustrações que amargam

Aí, prefiro me calar, enfiar o rabinho entre as pernas e agradecer a Deus por ter outras alternativas

Porque apesar de ter livre arbítrio, não estou me lançando em coisas das quais venha me envergonhar

Mas não sou juíza de nada, não tenho o direito de julgar ninguém

Cada um é livre pra fazer sua própria história da maneira que bem entender

E eu, não vou apontar o dedo pra nada. Posso ter opniões diferentes, mas não sou a dona da verdade

E você que empresta sua língua à fofoca e maledicência

Cuide bem da sua vida, pode até aconselhar e sugerir formas depensar e agir

Mas não queira que todos sejam como você, nem que isso seja o único jeito de estar certo.

Lembre que quando estende um dedo, outros 4 estão em em sua direção.

Nenhum comentário: