quarta-feira, 28 de julho de 2010

Fora antipatia!


Quando perdemos a admiração por uma pessoa e essa se torna antipática a nossos olhos, não tem jeito! Tudo o que ela faça, veremos com maus olhos.

A intenção dela pode ser boa, o motivo pode até ser justo, a vontade de se reaproximar e reconquistar pode ser genuína, mas não importa - se quebrada a confiança, não temos mais empatia e vamos sempre achar que os erros são cometidos de propósito, que os olhares são maliciosos, que a implicância é de caso pensado e que existe falsidade e segundas intenções em todos os atos.

Pensando nisso...

É bom cultivar com carinho nossa imagem frente às pessoas que nos cercam, é bom manter a reciprocidade das boas ações e da boa vontade em tudo que fazemos, pois reconstruir uma imagem e um relacionamento, seja no trabalho, na escola ou na vida pessoal, despende muito trabalho.

Sou fácil de perdoar erros e de entender que todos temos momentos bons e ruins, e que podemos ter atitudes erradas devido a presões inesperadas. Mas quando isso se repete em demasia praticamente deleto a pessoa da minha lista. Passo a conviver sem nenhuma esperança, sem dar crédito ao que fala, ao que sente, sem dar mesmo importância, sabe.

Isso pode até ser injusto, mas apesar de me esforçar, não consigo ver essa pessoa com bons olhos de novo. Por isso é melhor gastar energia pra não se tornar esse mala...rrrrssss

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Luto e saudade...

Morte é algo ao qual não estamos acostumados, por mais que as manchetes de jornais estejam lotadas de assassinatos, de acidentes e coisas aberradoras, quando nos deparamos com perto da gente, nos apavoramos, não é mesmo... Meu primo, caiu de uma altura de mais 40 metros, numa pedreira desativada, enquanto brincava com papagaio. Tristeza! Tristeza muito grande me abate. Ver mãe enterrar filho é muito triste, dolorido...
Fica a dor, fica a saudade, fica aquele rostinho angelical de um super sapeca que tinha riso fácil e olhar de brilho fascinante. Que tinha garbo e charme próprios, que não perdia uma brincadeira...
Mas fica também a revolta - de quem será a responsabilidade pelo encerramento dessas áreas com crateras tão grandes, em locais residenciais, cheios de crianças, com possibilidade de repetir essa tragédia a tantas outras famílias...

Criança é fogo! Quando quer ninguém segura! Mas se a área é aberta, fica ainda mais fácil o acesso ...

Resta o lamento. Resta o pedido a Deus que dê conforto e consolo ao irmão, aos pais e aos avós desse pequeno. Porque trazê-lo de volta, nada poderá fazer...

Tristeza aperta aqui dentro, e as horas são angustiantes demais...

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Porque eu te amo!


Preciso falar e demonstrar mais meu amor, noto que ele tá carente de me ouvir dizer o quanto me orgulho, o quanto ele é lindo, o quanto eu o amo e o quanto eu quero estar sempre com ele.

Tanta agitação e a dura rotina de mulher, mãe, esposa, dona-de-casa, profissional e estudante o deixam inseguro. Será que a culpa é toda minha... Ou será que também não se coloca em meu lugar pra ver o quanto me desgasto com tanta coisa pra cuidar e fazer, hein...

De qualquer jeito, vou ser clichê e cafona, usar versos melosos e cuidar mais desse meu lindo, viu!

"Eu te amo e vou gritar pra todo mundo ouvir!"
E não acho que gosto mesmo de você, eu tenho certeza que TE AMO!



Às vezes se eu me distraio
Se eu não me vigio um instante
Me transporto pra perto de você
Já vi que não posso ficar tão solta
Me vem logo aquele cheiro
Que passa de você pra mim
Num fluxo perfeito
Enquanto você conversa e me beija
Ao mesmo tempo eu vejo
As suas cores no seu olho, tão de perto
Me balanço devagar
Como quando você me embala
O ritmo rola fácil
Parece que foi ensaiado

E eu acho que eu gosto mesmo de você
Bem do jeito que você é
Eu vou equalizar você
Numa freqüência que só a gente sabe
Eu te transformei nessa canção
Pra poder te gravar em mim

Adoro essa sua cara de sono
E o timbre da sua voz
Que fica me dizendo coisas tão malucas
E que quase me mata de rir
Quando tenta me convencer
Que eu só fiquei aqui
Porque nós dois somos iguais
Até parece que você já tinha
O meu manual de instruções
Porque você decifra os meus sonhos
Porque você sabe o que eu gosto
E porque quando você me abraça
O mundo gira devagar
E o tempo é só meu
E ninguém registra a cena
De repente vira um filme
Todo em câmera lenta


E eu acho que eu gosto mesmo de você
Bem do jeito que você é
Eu vou equalizar você
Numa freqüência que só a gente sabe
Eu te transformei nessa canção
Pra poder te gravar em mim (2x)

terça-feira, 20 de julho de 2010

Dia do Amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.
É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.
Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Muitos bichinhos na TV


Meus meninos entraram na fase de curtir desenho animado - a TV agora só tem vaquinhas, peixinhos, cachorrinhos, muitas fazendinhas, florestas e bichos que nem me lembravam que existiam. É divertido ver a interpretação deles de cada cena, a forma como se identificam mais com esse ou aquele personagem.

Porém, o mais engraçado é que assistir uma ou duas vezes está fora de cogitação - o negócio é assistir pelo menos umas vinte e sete vezes a cada desenho ou filme. Boa de memória como sou, estou podendo substituir atores em dublagens, pois as falas não me saem mais da cabeça. Sinto-me uma criancinha de novo!

A parte boa disso é que eles ficam mais quietinhos, e nesse frio, evitam de brincar na terra ou com água - que antes eram a diversão favorita. É tão bom ser criança, ...

Já estou com saudades do sofá e dos bichinhos... Ainda mais, dos meus filhos! Que uma hora dessas devem estar almoçando lá na escolinha, e eu aqui, trabalhando, com vontade de dar uns beijos, abraços e cheiros naqueles fofos....

Quem me dera...

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Pra refletir...


"Você pode descobrir mais sobre uma pessoa em uma hora de brincadeira
do que em um ano de conversa".

Platão

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Raciocínio rápido


Meus filhos me surpreendem a cada dia! Estão tão inteligentes, que até me assusto.

Ontem o pequenininho, de 2 anos, foi direto com minha mãe. Há mais de um mês ela passou por um procedimento cirúrgico simples e ele ficou todo cuidadoso com o "machucado", ontem, sem que ninguém fizesse referência à cirurgia, o Samuel disparou o seguinte.

"Vovó, você já sarou, né, o machucado já sarou."

Ela perguntou que machucado e ele mostrou, quando ela afirmou que já tinha sarado ele foi dando os braços e " Então me pega!".

Muito lindo! Sei... corujice pura!

Mas é mesmo bonito ver que o filho da gente tem memória boa, e pensa até no que pode e não pode em determinadas situações. Ele sempre apronta coisas do tipo, que nos deixa boquiabertos e cobertos de contentamento.

Faz travessuras também, como toda criança. E é advertido, claro. Mas inúmeras vezes demonstra ter um raciocínio avançado pra idade dele, ou para o tamanho... Sei lá! Coisa de mãe mesmo, que acha que filho é sempre um bebezinho, e só nesses momentos começa a ver que daqui há pouco será um rapaz...

Não tenho palavras pra agradecer...

terça-feira, 13 de julho de 2010

Controle e liberdade


"Aqueles que acreditam que tudo está sob controle absoluto, facilmente perdem o controle sobre si mesmos. " Rogério Thaddeu
Não acredito em controle absoluto. Não acredito em rédeas curtas.
Prefiro a liberdade. Prefiro deixar que pessoas se habituem ao auto-controle.
Se controlo o tempo todo e precisar ir ao banheiro não saberão como agir.
Prefiro analisar resultados, pesar pós e contras, ver o lucro, ver o real.
Não adianta controlar a ação, poxa!
As pessoas podem até agir como você manda só porque você está do lado mandando,
Mas sobre as mentes, que controle poderei ter - nenhum.
Sabe a história de quem ama deixar livre, quem quer que o outro cresça também deixa livre.
Livre dentro de um limite que só quem está deixando sabe - claro!
O suficiente pra que a pessoa aprenda a se controlar e dose sua dedicação e eficiência.
Falar é mais fácil que fazer - eu bem sei! Mas é preciso...
"Quando tudo está sob controle, é sinal de que não estamos indo suficientemente rápido." Mario Andretti

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Disse que disse e etc


Uma coisa que me deixa furiosa é o mau uso das palavras.

Não digo que sou santa, não. E sei que apesar de quase sempre ter boa memória, às vezes a correria me faz cometer deslizes e esquecimentos. Por isso tento anotar tudo!

Anoto com que pessoas falei e que preço passei, anoto as pessoas com as quais preciso falar e todos os detalhes que podem me ajudar nessas horas. Anoto com o que gastei meu dinheiro, quais contas deixei de pagar e quais ainda vão vencer. Tem vezes que só eu entendo o que anoto, devido a pressa em escrever, ler emails, conversar msn, falar ao telefone e ainda resolver algo pessoalmente - tudo ao mesmo tempo.

Mas algo que não é do meu feitio é inventar que disse ou que não disse - isso não! Procuro ser bastante clara e reforçar os pontos em que preciso me fazer entender. Gosto de coisas claras, de jogar limpo e faço disso uma marca. Não tenho problemas em assumir quando erro ou esqueço - melhor que ser surpreendida e não corrigir, né.

Isso chega a me atrapalhar, pois tem verdades que digo das quais acabo me arrependendo, pois o outro não teve maturidade pra escutar. Tipo, pede a verdade, mas já tinha uma verdade "pré-definida" que estava disposto a aceitar. Já estou me vacinando pra não dizer verdades completas por aí, pra evitar ser mau vista, mau quista e indelicada.

Mas quando tentam colocar palavras na minha boca tenho vontade de soltar verdades nuas e cruas, como avalanches de sinceridade. Pena não ser possível! Pena as boas maneiras, a ética e a vida em comunidade não me permitirem essa liberdade.

Tenho uma amiga exatemente assim. Ela fala o que pensa de tudo! É 8 ou 80! Ou é amada - meu caso e de tantos outros que lidam bem com seus próprios defeitos (porque ela joga na cara mesmo), ou odiada (por gente que pensa pequeno e acha que o mundo gira em torno de si e que amigos são os que falam o que querem escutar). Ela é livre! Fala o que a gente precisa ouvir.

Ai! Será que algum dia terei coragem de romper com as meias verdades e com a dependência desse mundo em que a gente age tanto mais por conveniência que por convicção... Posso contar nos dedos as pessoas com as quais sou inteiramente sincera.

Me sinto hipócrita quando engulo uma verdade e a mascaro pra não ferir. Será que estou ajudando ou priorando as coisas, hein...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Quando me amei de verdade...


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.

E então, pude relaxar.

Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.

Hoje sei que isso é...Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.

Hoje chamo isso de... Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.

Hoje sei que o nome disso é... Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável...

Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.

Hoje sei que se chama... Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.

Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.

Hoje sei que isso é... Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.

Hoje descobri a... Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.

Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar.

Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.

Tudo isso é... Saber viver!!!


Charles Chaplin

terça-feira, 6 de julho de 2010

Só R$25,00


Um homem chegou em casa tarde do trabalho, cansado e irritado encontrou o seu filho de 5 anos esperando por ele na porta .

- "Pai, posso fazer-lhe uma pergunta?"

- "O que é?" - respondeu o homem.

- "Pai, quanto você ganha em uma hora?"

- "Isso não é da sua conta. Porque você esta perguntando uma coisa dessas?", o homem disse agressivo.

- "Eu só quero saber . Por favor me diga, quanto você ganha em uma hora?"

- "Se você quer saber, eu ganho R$ 50 por hora."

- "Ah..." o menino respondeu, com sua cabeça para baixo.

- "Pai, pode me emprestar R$ 25,00?"

O pai estava furioso, "Essa é a única razão pela qual você me perguntou isso? Pensa que é assim que você pode conseguir algum dinheiro para comprar um brinquedo ou algum outro disparate? Vá direto para o seu quarto e vá para a cama. Pense sobre o quanto você está sendo egoísta", "Eu não trabalho duramente todos os dias para tais infantilidades."

O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta.

O homem sentou e começou a ficar ainda mais nervoso sobre as questões do menino.

- Como ele ousa fazer essas perguntas só para ganhar algum dinheiro?

Após cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar. Talvez houvesse algo que ele realmente precisava comprar com esses R$ 25,00 e ele realmente não pedia dinheiro com muita freqüência.

O homem foi para a porta do quarto do menino e abriu a porta.

- "Você está dormindo, meu filho?", Ele perguntou.

- "Não pai, estou acordado", respondeu o garoto.

- "Eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você a pouco?", afirmou o homem. "Tive um longo dia e acabei descarregando em você. Aqui estão os R$ 25 que você me pediu."

O menino se levantou sorrindo.

"Oh, obrigado pai!" gritou.

Então, chegando em seu travesseiro ele puxou alguns trocados amassados.

O homem viu que o menino já tinha algum dinheiro, e começou a se enfurecer novamente.

O menino lentamente contou o seu dinheiro , em seguida olhou para seu pai.

- "Por que você quer mais dinheiro se você já tinha?" - Gruniu o pai.

- "Porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho", respondeu o menino. - "Papai, eu tenho R$ 50 agora. Posso comprar uma hora do seu tempo? Por favor, chegue em casa mais cedo amanhã. Eu gostaria de jantar com você."

O pai foi destroçado...

Ele colocou seus braços em torno de seu filho, e pediu o seu perdão.

É apenas uma pequena lembrança a todos nós que trabalhamos arduamente na vida.

Não devemos deixar escorregar através dos nossos dedos o tempo sem ter passado algum desse tempo com aqueles que realmente importam para nós, os que estão perto de nossos corações.

Não se esqueça de compartilhar esses R$ 50 no valor do seu tempo com alguém que você ama.

Se morrermos amanhã, a empresa para a qual estamos trabalhando, poderá facilmente substituir-nos em uma questão de horas.Mas a família e amigos que deixamos para trás irão sentir essa perda para o resto de suas vidas.

O Caminho da Vida


O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.

A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.


(O Último discurso, do filme O Grande Ditador)


quinta-feira, 1 de julho de 2010

Vontade de férias...


Sabe aquelas épocas da vida em que tudo cansa - estou atravessando um desses momentos.

Me cansa a falta de boa vontade das pessoas, a folga e a falta de atitude.

Me cansa ter de repetir coisas que já disse e ainda assim ter que manter o bom humor.

Explicar com riqueza de detalhes pra quem tem preguiça de entender e quer tudo mastigado.

Esperar por respostas que não chegam e até as leituras sem originalidade.

Falando em falta de originalidade, que coisa esses programas de TV. Um pior que o outro!

E as revistas mostram quase sempre os mesmos assuntos - me parece falta do que dizer!

Os títulos dos livros são tão semelhantes que preciso folhear pra me certificar se já não li.

A mesmice parece estar por todo lado!

Tenho me encantado bem mais com as histórias que meu filho conta - essas sim são imprevisíveis, inéditas e cheias de suspense e de verdade...

Ou estou muito chata e exigente, ou grande parte do mundo ao meu redor resolveu me testar.

Opa! Peraí! Tudo bem que o limite da minha paciência é longo, consigo, mesmo com alguma dificuldade, continuar sorrindo e tal.

Mas vê se não abusa, viu! Ando num estado de tamanha irritabilidade e pouca importância com gente folgada que posso explodir de repente. Final de semestre em faculdade, mudança de realidade no trabalho, falta de tempo pra me curtir e fazer coisas que me alegram...

Não sei, né! Melhor não arriscar... rrrssss