segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Pessoas e pessoas

"Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre." Cecília Meireles

Tem dias que fico me perguntando o porque de uma pessoa ou outra marcar tão mais intensamente a minha vida que outras, as vezes, essas pessoas que nos marcam sequer fazem esforço para tal, enquanto outras, nos têm como importantes e a gente nem liga tanto assim. Será isso coisa de pele ou de alma, será coisa do acaso ou momento oportuno mesmo, hein...

Algumas pessoas se esforçam pra nos serem especiais e não o são. Outras mal sabem da nossa existência e as valorizamos.

Não tenho resposta! Acho que nenhum mortal tem! Só sei que posso me lembrar em detalhes por menorizados de pessoas que de uma maneira tão sutil ou tão arrebatadora apareceram e deixaram sua marca, preencheram um espaço que sempre será delas e que fizeram ou ainda fazem diferença na minha minha.

E sou grata a essas pessoas - muito e de coração.

Me ensinaram, me fizeram crescer, tornaram meu olhar diferente e romperam em minhas pré concepções extensas barreiras, me mostraram o outro lado da moeda, me fizeram valorizar cada segundo da vida, abraçar cada oportunidade, me abriram os olhos pra não esperar nada além do que eu mesmo posso ser e fazer, pois o que os outros nos acrescentam faz sim diferença, mas só quando nós mesmos nos bastamos.

Esperar do outro traz feridas, mágoas, cicatrizes. Não escutar o outro pode gerar ódio e indiferença. Não perceber e valorizar as coisas mais simples da vida, pode nos fazer perder os melhores acontecimentos por estar sempre a espera deles.

Amo a vida! Te amo Deus! Obrigada por cada segundo... e por tudo!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Quando a boca cala....o corpo fala


Desconheço o autor, mas acho tão válida a reflexão e leitura, que resolvi postar...

“ Quando a boca cala....o corpo fala”

"Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico.
E muitas vezes : O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas se aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
E as tuas dores caladas ? como elas falam no corpo ?
Mas cuidado....escolha o que falar, com quem, onde, quando e como !!!
Crianças é que contam tudo , para todos, a qualquer hora, de qualquer forma. Passar relatório é ingenuidade. Escolha alguém que possa organizar as idéias, harmonizar as sensações e recuperar a alegria.
Todos precisam saudavelmente de um ouvinte interessado. "

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Meu universo, girando...


Minha cabeça está fervendo, e apesar disso nunca estive tão calma, plena, segura e decidida. Estou cheia de idéias, de novidades, de vontades e planos. Vou muito além, eu sei, mas preciso respirar, me recuperar, me encher de força mais uma vez. Sou grata, sou muito grata a Deus por tudo o que tenho e sou, sei que o que virá será ainda melhor...


Que sejas meu universo
Não quero dar-te só um pouco do meu tempo
Não quero dar-te um dia apenas da semana

Que sejas meu universo
Não quero dar-te as palavras como gotas
Quero que saia um dilúvio de bençãos da minha boca

Que sejas meu universo
Que sejas tudo o que sinto e o que penso
Que de manhã seja o primeiro pensamento
E a luz em minha janela
Que sejas meu universo
Que enchas cada um dos meus pensamentos
Que a tua presença e o teu poder sejam alimento
Jesus este é o meu desejo

Que sejas meu universo
Não quero dar-te só uma parte dos meus anos
Te quero dono do meu tempo e dos meus planos

Que sejas meu universo
Não quero a minha vontade
Quero agradar-te
E cada sonho que há em mim quero entregar-te!!!
PG

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Viver ou juntar dinheiro


*Por Max Gehringer*

Recebi uma mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN e peço licença para lê-la na íntegra, porque ela nem precisa dos meus comentários. Lá vai:

"Prezado Max meu nome é Sérgio, tenho 61 anos, e pertenço a uma geração azarada. Quando eu era jovem as pessoas diziam em escutar os mais velhos, que eram mais sábios agora me dizem que tenho de escutar os jovens porque são mais inteligentes.

Na semana passada eu li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa.

Aprendi por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, durante os últimos 40 anos, eu teria economizado R$ 30.000,00.

Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês teria economizado R$12.000,00 e assim por diante.

Impressionado peguei um papel e comecei a fazer contas, e descobri para minha surpresa que hoje eu poderia estar milionário.

Bastava eu não ter tomado as caipirinhas que eu tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que eu comprei, e principalmente não ter desperdiçado meu dinheiro, em itens supérfluos e descartáveis.

Ao concluir os cálculos percebi que hoje eu poderia ter quase R$500.000,00 na conta bancária. É claro que eu não tenho este dinheiro.

Mas se tivesse sabe o que este dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos à vontade.

Por isso acho que me sinto feliz em ser pobre.

Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer.

E recomendo aos jovens e brilhantes executivos, que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário eles chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro, mas sem ter vivido a vida"