terça-feira, 10 de maio de 2011

"Vê as pingas que eu tomo e nem sabe os tombos que levo"


Apesar de já ter vivido situações trágicas e nada agradáveis no convívio humano, algumas coisas ainda me chocam, é verdade. Continuo considerando uma das piores a incapacidade das pessoas de comemorar com o próximo as suas vitórias, de aplaudir sinceramente conquintas e ficar feliz pela felicidade do outro. Aqui, generalisando, mas sei que existem exceções, ok?

Sei que embora raros, existem aqueles que não são dominados pela inveja e despeito, que têm a elegância de não torcer o nariz quando o vizinho reforma a casa, quando a cunhada troca de carro ou quando o colega conta detalhes de sua última viagem.

Bom seria se a gente olhasse menos pra nossas próprias frustrações e conseguisse sorrir mais, se desprender do que não conseguimos e olhar pra frente, tirando proveito dos percalços pelo caminho e nos tornando pessoas melhores e menos egoístas.

Tem gente que parece ter brigado com Deus porque alguém consegue algo que ele ainda quer, mas é incapaz de imaginar a que duras penas se deu, de quanto teve de abrir mão, de quanto teve de poupar em prol desse objetivo, de quantas roupas novas deixou de comprar, de quantas noites mal dormidas acumulou e etc, etc...

Chego a me emocionar quando vejo meus amigos e entes queridos realizando seus sonhos, adquirindo bens e tendo ascenção profissional, e o meu desejo é que outras pessoas também se alegrem com minhas realizações. Pena que não acontece... "Vêm as pingas que eu tomo e nem sabem os tombos que levo..." Entende?

Estou a cada dia aprendendo mais a me conter, ficar calada quanto aos meus sonhos e planos pra realizá-los. Aliás, ficar calada de forma geral, pois é muito fácil ser mal interpretada. "Quem fala muito da bom dia a cavalo" não é mesmo? E eu falo demais! Mas agora, de amenindades, generalidades...

E torcendo muito pra que mais gente consiga se realizar e ficar contente com a realização dos outros.

Um comentário:

Franci:) disse...

Sempre deixando a gente de boca aberta né?!
Amei!
Mas existem aqueles que precisam de ler, e quem sabe assim colocam a mão consciência.

Bom trabalho cunhada!
Saudades....