terça-feira, 30 de abril de 2013

Pense!




Dores te fazem humano...
Quedas te fazem humilde...
Provocações te fazem forte...
Mas, Deus, somente Deus te faz prosseguir!
As vezes Deus nos leva ao nosso limite, sabe por que?
É porque ele tem mais fé em nós, do que nós mesmos!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Frio combina com comidinhas


A temperatura resolveu despencar aqui em BH. Bom demais pra aproveitar com menos restrição comidinhas deliciosas: fundue, massas, caldos, doce de leite caseiro pra comer morninho... Uau! Que delícia!

Bom também pra se aquecer com o calor do corpo do outro e dormir de conchinha, assistir várias temporadas de séries favoritas no sábado à tarde, com a luz baixa, bem juntinho, debaixo das cobertas e tomando chocolate quente. 

Ah! E é claro, comendo e repetindo todas as comidinhas já citadas acima.



Vocês gostam de frio? Eu só sofro na hora de sair das cobertas, cedinho. E agradeço a Deus porque por aqui, mal dá para usar todas as tendências de moda outono e inverno, pois dura bem pouco (normalmente, o que já não sei, com tantas mudanças climáticas mundiais, né?)

A foto no topo é da Praça do Papa, linda e com sua bela vista.

Amigos para sempre




Tenho facilidade em me relacionar com pessoas de todas as idades, gêneros e estilos. Não tenho preconceitos, não gosto de estereotipar ninguém e respeito demais pessoas como elas são. Sempre fui cercada de colegas, turminhas para papear por onde for, mas amigos mesmo, daquele tipo que é de verdade, que a gente pode confiar para tudo, uma quantidade mais reduzida se apresenta. Porque preciso confiar, e isso nem sempre acontece do dia para a noite. Pode levar muito tempo, com raríssimas exceções. Em muitos casos, sou a melhor amiga de gente que me achava uma pessoa mais chata do mundo (sem me conhecer me achava metida à besta, vê se pode?).  Mas minha lealdade, amor e companheirismo quando conquistados, são para sempre.

Poucas coisas na vida são tão boas quanto se ter verdadeiras amizades. Já diz o poeta, “amizade é um amor que nunca morre”. E não morre mesmo. As nossas vidas podem tomar rumos diferentes, pelas nossas escolhas, carreiras ou o acaso, mas quando temos a oportunidade de encontrar é sempre uma festa e parece que nosso último encontro foi hoje mais cedo. A conversa flui, a alegria pelas alegrias do outro é visível e se for preciso ajudar, estendemos o ombro com muito carinho, e amigo sabe que pode confiar, pode ser transparente, te olha nos olhos e nem muitas palavras são necessárias pra entender tudinho que está acontecendo.

Em tempos de internet e telefone celular nem é preciso encontrar fisicamente (apesar desse encontro ser muito necessário), basta um e-mail, uma chamada no Skype, no Gtalk ou uma ligação pra fazer ainda melhor o nosso dia. Saber as notícias, compartilhar nossas novidades ou simplesmente lembrar que nos lembramos daquela pessoa e desejamos um dia lindo.

Problema disso é só um, o tempo passa tão rápido quando a gente está com amigos! Pode ser em uma festa, ou num barzinho, ou quando nem é planejado e nos esbarramos em restaurantes e shoppings, a gente quer tanto que o tempo pare e tem assunto pra mais de metro. Preparamos a despedida e quando olhamos o relógio já se foram 2, 3, 4 horas a mais. O tempo não pára não. Corre. 

Temos é de aproveitar cada dia para lembrar o quanto nossos queridos são importantes. Muito importantes!

terça-feira, 23 de abril de 2013

Porto Seguro


Sou do tipo que quando muito feliz, se debulha em lágrimas com facilidade. Várias melodias e os momentos em que estou agradecendo a Deus o tanto a mais do que pedi que tenho, e que sou, também me emociono. Meu filho brinca que eu dou gargalhada chorando "Mamãe você sabia que chorar é diferente de rir, você não pode fazer as duas coisas junto". Daí explico a ele que o melhor choro é esse, o de alegria.

Quando as lágrimas são de dor, de frustração ou vontade de sumir, deixo escondidas. Fica o peito apertado e o nó trancando a garganta até poder estar sozinha, em casa, em meu porto seguro.

E sabe, logo não sei mais se estou soltando toda represa que fechei durante tanto tempo, entre as obrigações e correria, ou se estou é chorando de alegria por ter quem com tanto amor me embale mesmo sem entender e nem saber direito o porquê, me dando colo, ficando em silêncio, fazendo cafuné e me contando o quanto eu dou orgulho, e que eu não preciso demorar tanto pra me abrir.

Amor é esse cuidado. Calado. Sem reservas. 

E aí me fortaleço, me renovo e me refaço. Tenho a certeza de que nem essa terrível dor de garganta (em semana de agenda cheia e apresentação de canto) e nenhuma palavra dura vão me tirar do prumo, nem a leveza, nem a graça e nem o que sou.   

Só me resta agradecer tudo!

domingo, 21 de abril de 2013

Don't worry, be happy



Esse post é daqueles que não espero muitos leitores, comentários, nem e-mail dizendo isso ou aquilo. É extenso, até cansativo...

Uma coisa que não aguento é reclamação! Aiaiaiaiai! Parece coisa de criança pirracenta (que não suporto!), adolescente mal resolvido (para os quais me falta paciência) ou gente ranzinza (que só suporto por muito amor e respeito, ou por obrigação). Esses seres que muito reclamam são os não conseguem solução para nada e acham que reclamando vão conseguir. E sabe o que conseguem esses tipos? Estressar todos à sua volta, afastar quem gosta e estar caminhando a passos apressados para ter mais motivos de que reclamar (já diz um provérbio que “um abismo atrai outro abismo”).

Não aguento esse mau hábito de reclamar que os outros têm, mas sou capaz de suportar por educação (e por um tempo determinado!), mas quando eu que fico assim... Ah! Tenho vontade de me esconder, fugir, mudar tudo. Porque não me suporto! Porque não combina nem um pouquinho com minha liberdade e desapego reclamar e remoer coisas que não saíram como eu queria (e que eu nem sei mesmo se queria tanto assim).

Poxa, o nosso tempo é escasso! Precisamos ser seletivos, se você está perto de quem está de mal com tudo e todos você está perdendo horas preciosas do seu dia. Horas que você poderia investir para ler um bom livro, assistir àqueles filmes que estão na sua lista, se exercitar, conhecer gente interessante, aprender a velejar, praticar balonismo, descobrir trilhas lindas pelas montanhas de Minas, tomar muitos banhos de cachoeira, e por aí vai. A lista de coisas boas a fazer (e que a gente precisa criar tempo) é tão grande que muito me espanta perder tempo nessa vida!

E se a gente é que se faz perder tempo com o que não dá em nada, e ainda fica reclamando é hora de parar. De pensar. De fazer diferente. De trocar de direção. Mudar o passo. Se adestrar para o que realmente importa. “Tudo vale a pena se a alma não é pequena” é coisa de quem gosta de sofrer.


Tem de valer o bem viver, o amar, o ser amado, o diálogo, os sorrisos, a diversão, o prazer, as músicas que fazem o coração acelerar ou, enfim, se acalmar. Tem de valer o agrado, o investimento de tempo, de sentimento, a beleza das flores e o sabor dos frutos. Tem de ser gostoso o se importar, o ser cuidado, ficar em silêncio por horas, se entender pelo ritmo da respiração, pelo tom de voz ou pela olhar, e não a pena. Pena é punição é castigo. Pena é padecer, sofrer, sentir dor, experimentar aflição.

Tá certo que em tudo na vida existem pontos positivos e negativos, coisas boas e coisas ruins, mas o saldo tem de ser positivo, ora bolas. Minha alegria e liberdade não combinam com sofrimento. E melancolia, eu só me permito por alguns minutos. Se algo na sua vida não tem saldo positivo, acabe. Desapegue. Largue. Reinvente.

Experimente fazer tudo diferente: se dê a oportunidade de passar um dia inteiro sem reclamações (sem reclamar e bem longe de quem reclama!). Foque no que tem de bom na sua vida e abra seu coração para agradecer. Sei que tem dias que os problemas são tão gigantes que quase nos ofuscam a visão das coisas que são positivas em nossa caminhada, mas mesmo nesses dias, concentre-se em admirar as coisas agradáveis. Nem vai precisar se esforçar muito pra encontrar alguma coisa boa e que te faz bem e, então, só agradeça. Agradeça e faça o seu melhor nas situações de adversidade. Uma hora as coisas se ajeitam. Não podemos nos perder na caminhada por causa de coisas que não saíram do jeito que a gente queria, ou porque alguém nos maltratou, ou pior, porque a gente se sabotou. Siga em frente.



E não vale só “seguir em frente” (como se isso fosse “só”!). É preciso se desfazer do peso, da dor, da mágoa, do ressentimento (mesmo que momentâneo), da ira, da vontade de dizer verdades desnecessárias (mas que no momento a gente acha que são), da busca por respostas que não vão mudar o nosso mundo. Só fica livre de fato quem não carrega mochila de coisinhas a perdoar. E se perdoar (que é mais difícil do que perdoar o outro e que é sempre mais difícil quando a gente é perfeccionista).

Sabe que o faz diferença em tudo? Acreditar! E eu acredito que tudo vai ser diferente. E bem melhor. Porque o tanto de felicidade e capacidade que eu tenho é muito maior que coisinhas. E porque eu posso fazer isso!

Viver é ser livre! E eu sou!

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Mais um dia pra ser mais feliz




Tem dias que acordo tão empolgada que nem parece que só pude dormir quase cinco, ou no máximo seis horas. E hoje foi um desses dias. Você pode me perguntar se não é por que hoje é sexta-feira. Poderia pensar assim se hoje fosse uma exceção, mas não é não. Hoje estou um tantinho mais animada, verdade e a razão conto depois. Mas coisa mais rara do mundo é me ver acordar de mau humor.

Sabe aquela coisa de fazer o que se gosta te faz ter férias todos os dias? Deve ser isso. Não sou o tipo que reclama e que choraminga porque é segunda-feira, que fecha a cara a primeira cara fechada que avista. Prefiro sorrisos. E sigo sempre com paixão e intensidade (sempre!). Escolho pensar que cada um tem seus motivos pra estar arrastando corrente, mas eu decido não me contaminar pela tristeza ou pessimismo. Quero é contagiar outros com minha alegria de viver. Tem coisa melhor que ter um bom dia? (Ah! Tem sim. Ter um bom dia e uma noite ótima! Né?). Mas melhor começar pelo dia.

É quase impossível que você sorria para a vida e ela te devolva uma crise. Sorrisos abrem portas e o que é melhor, abrem outros sorrisos.

As crises estão aí por todo lado, causadas por pessoas complicadas (como você e eu!), e que resolvem agir brigando com o mundo e com outras pessoas, como se todos fossem culpados por suas mazelas (como você e eu não fazemos, porque resolvemos nossos problemas e não ficamos “oh vida oh céus!”). Bora viver bem!

Ainda sobre esse dia, não corri (correr de noite está impraticável porque estou com horários malucos e ainda preciso ajudar meninos com “para casa”, daí antes das seis horas o celular me acorda e já cuido do corpinho, da mente e suando um cadinho, que adoro). E não me sinto nem um pouco culpada, tá um friozinho gostoso de aproveitar mais o edredom, é dia concluir etapa de projeto, cuidar da unha, colocar a depilação em dia e curtir as amigas. E o final de semana só está começando - vem muita coisa boa por aí!

E você, como vai aproveitar seu começo de final de semana? 

Seja como for, aproveite seus dias pra ser mais feliz e irradiar felicidade por aí! Faça um bom dia! Começando agora, já! Eu comecei, e já estou a-d-o-r-a-n-d-o!